Identificado traficante envolvido na tentativa de resgate de criminoso

Durante a tentativa de resgate no Fórum de Bangu houve troca de tiros, entre bandidos e Policia Militar; uma criança e um policial morreram após serem baleados durante o confronto

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

O traficante Leandro Nunes Botelho, conhecido como Scooby Doo, foi identificado pela Divisão de Homicídios da Polícia Civil como o responsável pela tentativa de resgate de dois presos do Fórum de Bangu, zona oeste do Rio de Janeiro, na tarde dessa quinta-feira (31), que terminou com a morte de uma criança e de um policial militar. A polícia fez a perícia no local e agora analisa câmeras de segurança e faz operação nas favelas da região. Duas escolas municipais na região ficaram fechadas nesta sexta-feira (1º) por causa da violência no local. A Polícia Civil (PC) apontou Scooby Doo como líder do grupo de pelo menos cinco homens armados que participaram da tentativa de resgate. O suspeito que é foragido da Justiça não conseguiu resgatar Alexandre de Melo, conhecido como Piolho, e Vanderlan Ramos da Silva, com apelido de Chocolate, que prestavam depoimento. O delegado da Divisão de Homicídios, Rivaldo Barbosa, responsável pelas investigações, disse que ninguém foi preso até o momento. "Nós identificamos um suspeito e a perícia no local foi feita. Agora estão sendo feitas as análises das imagens de câmeras de segurança para identificar os demais para formalizar o que apuramos. A polícia está fazendo uma operação em todas as favelas de facção criminosa da região", declarou. De acordo com a PC, até o momento 12 pessoas foram ouvidas e as equipes da Divisão de Homicídios continuam fazendo ações na região, na tentativa de identificar e prender os envolvidos no tiroteio. Ainda segundo a Polícia Civil, por enquanto mais detalhes não serão divulgados para não atrapalhar o andamento das investigações. O secretário de Estado de Segurança, José Mariano Beltrame, pediu na quinta a transferência de Alexandre de Melo e Vanderlan Ramos da Silva, para presídios federais, considerando a audácia da tentativa de resgate e as consequências que a ação provocou. A secretaria informou nesta sexta que o pedido foi encaminhado ao Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ) e a resposta deve sair até segunda-feira (4). Com Agência Brasil

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave