Baku desiste e Brasília fica mais perto da Universíade

Brasil pode sediar o segundo evento esportivo que mais reúne atletas no mundo, atrás apenas da Olímpiada de Verão

iG Minas Gerais | AGÊNCIA ESTADO |

A sete meses de realizar a Copa do Mundo e a menos de três anos de receber os Jogos Olímpicos de Verão, o Brasil está perto de ganhar também o direito de organizar a Universíade, segundo evento esportivo que mais reúne atletas no mundo, atrás apenas da Olimpíada de Verão. Isso porque Baku (Azerbaijão), principal rival de Brasília pela competição universitária de 2019, decidiu retirar a sua candidatura. Assim, a capital brasileira entra como favorita contra Budapeste na eleição do próximo dia 9. Desejando entrar na rota do esporte, assim como fizeram Dubai e Doha, a capital do Azerbaijão tem uma série de grandes eventos no seu calendário. Em 2015, Baku vai realizar a primeira edição dos Jogos Europeus, equivalente aos Jogos Pan-Americanos. Depois em 2017, sediará os Jogos da Solidariedade Islâmica, competição poliesportiva que neste ano, na sua terceira edição, reuniu 44 países em 13 modalidades. "Levando em consideração que Baku sediará três eventos de grande escala entre 2015 e 2017, parece impossível fornecer novas acomodações dentro de dois anos para todos os atletas, dirigentes esportivos, familiares, mídia e convidados da Universíade em 2019 ", disse ao site Inside The Games o presidente da federação universitária do Azerbaijão, Tofig Khanaliyev, citando também a realização da Olimpíada do Xadrez, em 2014. Neste ano, foram à Universíade de Kazan (Rússia) 10.442 atletas. Assim como nos Jogos Olímpicos, cabe à cidade sede construir acomodações para todos esses esportistas, que são alojados em Vilas Olímpicas. Como comparação, os Jogos de Londres/2012 tiveram 10.568 competidores, uma diferença de apenas 124 com relação ao torneio universitário. Com a saída de Baku, Brasília tem apenas a concorrência de Budapeste, na Hungria, em decisão que será tomada pela Fisu (Federação Internacional do Esporte Universitário) no próximo dia 9 de novembro (sábado), na Bélgica. A capital brasileira já havia pleiteado receber a competição de dois anos antes (2017), mas acabou derrotada por Taipei, no Taiwan. Na época, um dos argumentos para a vitória asiática era que aquela era a sua segunda candidatura, que agora se apresentava madura. Brasília está na sua segunda candidatura. Budapeste, na primeira. Quando se candidatou à sede da Unviersíade de 2017, Brasília o fez sozinha, sem qualquer apoio do COB ou do Governo Federal. A própria presidente Dilma Rousseff só se pronunciou a respeito no dia da votação na Fisu, declarando seu apoio. Dessa vez o Governo Federal entrou na campanha antes mesmo da escolha por Brasília. Há duas semanas, Dilma recebeu no Palácio do Planalto o presidente da Fisu, o francês Claude-Louis Gallien, e demonstrou apoio à candidatura. Um dos pontos favoráveis a Brasília é que a capital federal vai organizar os Jogos Mundiais Escolares 2013 (Gymnasiade), equivalente à Universíade, mas para atleta de até 17 anos, entre os próximos dias 27 de novembro a 4 de dezembro.

Leia tudo sobre: universiadebrasiliasedetorneioevento esportivo