Gratidão entre dois campeões

Incentivo alvinegro no título do Estudiantes na Libertadores de 2009 é retribuído neste ano

iG Minas Gerais | Thiago nogueira |

FERNANDA CARVALHO
Partilha. Além do cachecol pincha-alvinegro, torcida fez camisa meia Atlético, meia Estudiantes
No futebol ou fora dele, brasileiros e argentinos são adversários ferrenhos. Mas nada é maior do que o sentimento de gratidão para conter qualquer rivalidade. Em 2009, os atleticanos foram às ruas para comemorar o título do Estudiantes sobre o arquirrival Cruzeiro na Libertadores. Quatro anos depois, a retribuição dos argentinos pelo título continental do Galo ajudou a criar uma relação pouco vista no mundo da bola. O laço de amizade começa na comemoração argentina em 2009, quando uma bandeira do Atlético seguiu na frente do carro onde os campeões desfilaram em La Plata. Em julho deste ano, tão logo o Atlético conquistou a Copa Libertadores, o gerente de futebol do Estudiantes, Leo Mansilla, pegou a bandeira que estava guardada e, com os jogadores da equipe, felicitou os mineiros em foto publicada nas redes sociais. Para alimentar ainda mais a afinidade, o atleticano Dalton Estrela teve a ideia de criar cachecóis, metade branco e preto, metade vermelho e branco. Com a ajuda do amigo Beto Caetano, que reside em Buenos Aires, um esboço foi mostrado aos jogadores do Estudiantes, que aprovaram a ideia. Vinte peças, então, foram enviados para a Argentina e distribuídas à comissão técnica e aos atletas, entre eles, os campeões de 2009 Verón, Desábato, Gastón Fernández e Agustín Alayes. Os cachecóis também chegaram aos produtores do programa de TV “Mundo Pincharrat”, dedicado ao time argentino, e ao cantor-símbolo do clube, Iván Sadovsky. Tardelli aguarda convocação hoje Expectativa no Galo . Luiz Felipe Scolari irá anunciar sua convocação hoje, às 12h, e Diego Tardelli espera abrir um largo sorriso ao término da lista de relacionados para as partidas contra Honduras e Chile, nos dias 16 e 19 de novembro, respectivamente. O atacante alvinegro mostra ansiedade e espalha essa expectativa com amigos e parentes. “Não dá para pensar em outra coisa a não ser uma notícia boa amanhã (hoje). Estou na expectativa por tudo que está se criando e falam. Se tiver que ir, vou ficar feliz, se não for, é vida que segue, vou continuar trabalhando. Mas a expectativa é grande não só minha, mas de amigos e colegas”, afirmou Tardelli. A ausência de Diego Costa não aumenta as esperanças. Para o atacante, a sua real concorrência é com jogadores que atuam pelo lado do campo, como Lucas e Hulk.  

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave