Solução pode ser apenas paliativa

iG Minas Gerais |

O investimento milionário na obra que vai criar o piscinão em Belo Horizonte não é unanimidade entre os especialistas. Alguns ambientalistas reclamam que a intervenção cria uma solução paliativa.   Para o coordenador do Projeto Manuelzão, Marcus Vinicius Polignano, a bacia de detenção vai na contramão do que tem sido feito nos países desenvolvidos. “É mais uma ação na tentativa de controlar a natureza, quando o que se vê em outros países é a devolução dos rios ao seu curso natural e ações de melhoria da drenagem urbana”, avalia. Polignano acredita que o projeto vá acabar sendo desfeito nos próximos anos. “Na Coreia do Sul, um rio que estava canalizado foi renaturalizado. Com certeza, os próximos prefeitos irão corrigir o que está sendo feito hoje”, disse. O ambientalista ainda teme que o piscinão vire um depósito de lixo durante a estiagem. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave