Desemprego em BH tem aumento de 41% em um ano

Mais gente procurando emprego faz índice parecer maior

iG Minas Gerais | Juliana Gontijo |

FOTO: DANIEL PROTZNER / O TEMPO
Natal. Fim de ano faz mais gente sair para procurar emprego
A taxa de desemprego na região metropolitana de Belo Horizonte aumentou 41% em setembro deste ano, em relação ao mesmo mês de 2012. Nesse intervalo, a taxa saltou de 5,1% da População Economicamente Ativa (PEA) para 7,2%, conforme Pesquisa de Emprego e Desemprego (PED/RMBH), divulgada ontem. Foi a que mais subiu em um ano, entre as seis regiões metropolitanas pesquisadas.   O coordenador do levantamento pela Fundação João Pinheiro, Plínio de Campos Souza, explica que não é necessariamente o desemprego que cresceu, mas o fato de ter mais gente procurando emprego eleva a taxa. Nos últimos 12 meses, 136 mil ingressaram na PEA. “Com as taxas de desemprego mais baixas nos últimos anos, passamos a ter pessoas que procuram vagas, mas não aceitam qualquer emprego. E há os que querem o posto, mas não tem qualificação”, observa. Na comparação anual, a pesquisa mostrou acréscimo na oferta de vagas em todos os setores analisados, com destaque para o segmento de serviços, que teve acréscimo de 42 mil postos, uma alta de 3,3%. A construção também teve incremento de 7.000 vagas ou expansão de 3,4%. Na indústria de transformação, a oferta de vagas registrou aumento de 22 mil, o que significa expansão de 7,4%. No setor de comércio e reparação de veículos automotores e motocicletas, os postos de trabalho tiveram alta de 4,4%, com 18 mil vagas. Em relação as demais taxas deste ano, a computada no nono mês de 2013, foi a segunda mais alta para um mês de setembro, perdendo apenas para maio (7,4%). Comparação. A taxa de setembro (7,2%) também teve ligeiro acréscimo frente ao mês anterior, quando ficou em 6,9% da PEA. As oferta de vagas teve crescimento 11 mil postos, o que significa alta de 0,5% em relação a agosto. Entretanto, Souza observa que o incremento não conseguiu suprir o aumento de 19 mil pessoas (0,8%) em busca de uma vaga, o que resultou em um acréscimo de 8.000 desempregados na capital. Souza explica que nessa época do ano, o comércio começa a se preparar para o Natal, o que deve contribuir para que mais gente procure emprego. Segundo ele,Com as contratações de temporários, a perspectiva é que haja redução do desemprego nos próximos meses.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave