Moradores de aglomerados do Barreiro fecham avenida em protesto

Eles reivindicam passarela, semáforos ou outra forma de segurança para reduzir o risco de acidentes e atropelamentos no local

iG Minas Gerais | JULIANA BAETA |

Uma manifestação que começou na noite desta quinta-feira (31) no Barreiro, em Belo Horizonte, mobiliza cerca de 200 moradores de aglomerados localizados às margens da avenida Tereza Cristina, na divisa com o bairro Jardim Industrial, em Contagem, região metropolitana de Belo Horizonte. De acordo com uma moradora da região, o motivo do protesto é a falta de atenção com os aglomerados. "A gente quer que eles coloquem um radar aqui, um semáforo, um quebra-molas, alguma coisa, porque é muito perigoso. Nós temos muitas crianças morando por aqui e não temos televisão, e elas ficam na rua, correndo o risco de serem atropeladas", contou. Ainda de acordo com a moradora, o motivo de o poder público não tomar as providências a respeito da região é o preconceito. "Eles falam que não colocam nada aqui porque é favela. É favela mesmo, e daí? A gente está correndo risco aqui do mesmo jeito. Os carros passam a 200 quilômetros por hora e não estão nem aí pra gente", disse. A Polícia Militar está no local e conversa com os manifestantes de forma pacífica, segundo a moradora. Os moradores  atearam fogo a pneus para fechar a avenida, mas o Corpo de Bombeiros, que também está no local, apagou todos os focos de fogo. Ainda não há registros de complicações no trânsito da região.  

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave