Clínica de aborto é fechada e enfermeira é presa em Montes Claros

Suspeita cobrava cerca de R$ 500 pelo procedimento; no momento da prisão, uma paciente estava no local

iG Minas Gerais | CAROLINA CAETANO |

Uma mulher de 52 anos foi presa, nessa quarta-feira (30), suspeita de realizar abortos em uma clínica clandestina de Montes Claros, no Norte de Minas. No momento da prisão, uma mulher, grávida de seis semanas, passava pelo procedimento. Mesmo pega em flagrante, a suspeita pagou fiança e foi liberada. De acordo com a Polícia Civil, Zilmar Maria Santos Miranda, que já tinha sido presa pelo mesmo crime em 2008, foi localizada em casa, no bairro Conjunto José Carlos de Lima. Os abortos eram feitas na sua cama. Quando os policiais chegaram, a paciente de 30 anos já tinha tomado alguns comprimidos abortivos e realizado a sucção do feto por meio de um tubo introduzido na vagina. Ela foi levada para um hospital da cidade e depois também foi encaminhada à delegacia. Segundo a mulher, a enfermeira aposentada cobrou R$ 200 por ser amiga da grávida. No quarto da mulher foram encontrados vários comprimidos, luvas, tesouras e alguns medicamentos veterinários. No primeiro momento, Zilmar afirmou que “a prática do aborto era normal e tudo mundo fazia”. Entretanto, na delegacia e instruída pelo advogado, a mulher negou o crime. Ela pagou uma fiança no valor de R$ 5.000 e foi liberada. Zilmar vai responder por prática de aborto em liberdade. Pelo Código Penal, o aborto no Brasil é considerado crime e só é autorizado pela Justiça em caso de estupro ou em caso de risco à saúde da mãe ou da criança.

Leia tudo sobre: ABORTOCLÍNICAENFERMEIRA