BNDES reduz financiamento para Confins

Vencedor terá linha para se estruturar

iG Minas Gerais |

DANIEL IGLESIAS/O TEMPO
Confins será leiloado no dia 22 de novembro, junto com o Galeão
Rio de Janeiro. O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) reduziu para 70% sua participação no financiamento para o consórcio vencedor do leilão de privatização dos aeroportos de Confins, em Minas Gerais, e do Galeão, no Rio de Janeiro, previsto para 22 de novembro. No leilão dos aeroportos internacionais de Brasília, Campinas e Guarulhos, realizado em 2012, os recursos do banco atingiam até 90%. Segundo o gerente do departamento de Logística do BNDES, Leonardo Leão, a mudança se deve à alternativa que será dada aos consórcios vencedores de emitirem debêntures de infraestrutura, mercado que o banco quer fomentar. Esses títulos poderiam ser compradas por outros agentes do mercado. De acordo com a economista do mesmo departamento Marcela Del Monde, o próprio banco poderá aumentar a sua fatia no financiamento, se decidir adquirir as debêntures. Outra novidade no novo leilão será a possibilidade de o vencedor dar entrada no pedido de empréstimo-ponte do BNDES antes da assinatura do contrato de concessão, para custear a estruturação da operação. A remuneração para empréstimos de longo prazo será de 0,9% ao ano mais a Taxa de Juros de Longo Prazo(TJLP)), atualmente em 5% ao ano, mais a taxa de risco. O consórcio vencedor terá 20 anos para pagamento. Para o empréstimo-ponte, cujas as taxas serão maiores, por se tratar de um financiamento de curto prazo.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave