Pastora ofereceu outra criança

Pai adotivo denuncia que mulher enviou e-mail propondo troca pela menina que é disputada na Justiça

iG Minas Gerais | LUCAS SIMÕES |

RICARDO MALLACO / O TEMPO
Oficial. Plateia da audiência pública de ontem foi palco para manifestações por parte dos dois lados
O empresário Válbio Messias da Silva, 50, pai adotivo da menina de 4 anos que por decisão judicial vai voltar a viver com os pais biológicos, denunciou ontem a interferência de duas pessoas no processo de adoção da criança que, segundo ele, podem ter influenciado a perda da guarda pelos pais adotivos. Em audiência pública realizada na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), o empresário divulgou um e-mail em que uma pastora que cuidou da criança – e atua em uma igreja que custeia o aluguel da família biológica – afirma ter interesse em ficar com a menor e chega a oferecer outro bebê em troca da menina. A pastora responsável pelo Lar Efatá, em Betim, na região metropolitana, onde a criança viveu de 2 meses até 1 ano e 8 meses, teria enviado e-mail à mãe adotiva da menina, Liamar Dias de Almeida, 47, em 4 de abril de 2011 – seis dias após o casal adotivo ter conseguido a guarda provisória da criança. Nele, a mulher chama a menina de filha por diversas vezes, diz que tem laços “fortíssimos” com a garota e que não consegue viver sem ela. A pastora ainda diz que há uma outra menina, de 1 ano e 2 meses, chamada Maria Eduarda, que poderia ser dada em troca pela criança.mentira. O empresário ainda afirmou, durante a audiência pública, que nessa mesma época recebeu ameaças da pastora por telefone, e que o marido dela, um policial militar reformado e também pastor, teria mentido durante o processo de destituição a que a família biológica foi submetida, no ano de 2011. “Ela (a pastora) me telefonou dizendo que o marido é policial e poderia ter tomado outra atitude. Além disso, durante a destituição familiar, esse policial disse, em visita da Vara da Infância e da Juventude à residência deles, que não havia problemas com a família biológica. Mas o pai era alcoólatra, e a mãe tinha desequilíbrios mentais”, completou.motivação. Apesar de desembargador Belizário Lacerda ter determinado, no último dia 26, a volta da criança para os pais biológicos, o pai adotivo suspeita que a pastora ainda tenha interesse em ficar com a criança. “O objetivo dela (pastora) é ficar com a criança. Mas os pais biológicos estão morando em uma casa paga pela igreja dela, e acredito que eles possam ser enganados por ela”, disse o empresário.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave