Estelionatário que se dizia pastor evangélico é apresentado pela polícia

Ele pode ter ganhado R$ 500.00,00 desde 2004, quando começou a praticar os golpes; o suspeito marcava com as vítimas na frente de uma igreja no centro da capital

iG Minas Gerais | JULIANA BAETA |

"Não sou honesto", confessou o homem que foi preso suspeito de aplicar golpes que lhe renderam cerca de R$ 500.00,00 desde 2004. Ele é aposentado por invalidez, casado há 30 anos e tem sete filhos, e foi apresentado na manhã desta quarta-feira (30) na 1ª Região Integrada de Segurança Pública, por falsidade ideológica e estelionato. De acordo com o delegado Marcello Paladino, da 4ª Delegacia do Centro, Jailson Pereira Rocha, de 47 anos, começou a ser investigado no início do ano, quando deu um golpe em uma mulher de 50 anos. Ela anunciou a cadeira de rodas elétrica do falecido marido por R$ 4 mil através de classificados no jornal e Jailson a procurou dizendo estar interessado no produto. Ainda segundo o delegado, ele convencia as vítimas com a conversa, dizia ser pastor evangélico, mas usava cheques roubados ou sem fundos e se apresentava com o nome que constava neles. Para dar credibilidade aos golpes, o suspeito marcava de se encontrar com as vítimas na frente de uma igreja, no centro da capital. Foi assim que ele pagou pela cadeira de rodas, mas a vítima nunca recebeu o dinheiro. O suspeito negou roubar os cheques, disse apenas que os comprava. Primeira prisão Após "pagar" as vítimas ele sumia e não era mais localizado por ter dado o nome falso. Em julho deste ano ele foi preso em flagrante porque estava tentando vender um lote. Ele escolhia lotes abandonados, descobria o nome do dono e forjava uma procuração o colocando como representante para vender o imóvel. Na ocasião, um destes compradores desconfiou do crime e acionou a Delegacia de Defraudações. Com isso, quando a vítima estava indo pagar uma das parcelas do lote a Jailson, a polícia, que já estava avisada, o prendeu em flagrante, mas ele foi liberado dias depois. Último golpe Apesar disso as investigações continuaram e ele foi preso pela última vez quando estava tentando vender instrumentos musicais obtidos de maneira fraudulenta. Por meio de um anúncio de jornal, ele comprou uma guitarra, um baixo e uma pedaleira, avaliados em R$ 15 mil. Quando o vendedor percebeu que estava com um cheque sem fundo nas mãos ele avisou outros músicos que conhecia sobre o suspeito. Jailson tentou vender os instrumentos a um músico em uma loja, sem saber que ele e o homem que havia lhe vendido os instrumentos se conheciam. O suspeito se apresentou com o nome verdadeiro desta vez e, após avisar o amigo sobre a venda dos instrumentos, o músico tentou enrolar Jailson na loja para dar tempo de a polícia chegar antes que ele fosse embora. No entanto, o estelionatário percebeu que estava sendo encurralado e fugiu, deixando os instrumentos na loja. Mas com o nome verdadeiro do suspeito a polícia o prendeu há cerca de 15 dias com um mandado de prisão. Jailson foi indiciado por estelionato e falsidade ideológica e apesar de estar preso, as investigações continuam para apurar o envolvimento dele em 27 golpes cometidos desde 2004 e que, juntos, somam R$ 500.00.00.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave