Pesquisa mostra que belo-horizontino está animado com compras natalinas

Dos pesquisados 55% afirmam que as compras serão feitas à vista com dinheiro, enquanto no Natal do ano passado as compras com cartão de crédito parcelado somaram 87,7%

iG Minas Gerais | da redação |

A Fecomércio divulgou uma pesquisa que mostra que 57% da população de Belo Horizonte está mais animada com o Natal deste ano em relação ao anterior. Esse dado foi registrado na Pesquisa de Opinião do Consumidor – Natal 2013, realizada pela área de Estudos Econômicos da Fecomércio MG. Dos pesquisados 55%  afirmam que as compras serão feitas à vista com dinheiro, enquanto no Natal do ano passado as compras com cartão de crédito parcelado somaram 87,7%. Esse é o indicativo que o consumidor pretende fugir das dívidas visando os gastos típicos do início de ano. Uma boa dica para os empresários é que 93,5% dos consumidores afirmaram comprar à vista caso fosse oferecido desconto.   O ímpeto da população para o consumo se mostrou elevado ao longo do ano, fortalecido pela renda e emprego. Esse último quesito está em alta, e 83% das pessoas confiam na manutenção do posto de trabalho em 2014, sentindo-se, assim, mais seguras para presentear. Por falar em presente, o que mais deve sair neste ano são artigos de vestuário. As roupas serão a lembrança ideal para 40,5% dos entrevistados, seguida de calçados (18,1%), brinquedos (17,8%) e perfumes (7,3%). Os valores dos presentes ficarão entre R$ 30 e R$ 150, em 87% dos casos. São as chamadas "lembrancinhas" que, embora de menor valor, são compradas em maior volume. 13º salário Entre os entrevistados, 69,4% recebem esse benefício, que neste ano injetará na economia mineira R$ 12,7 bilhões. 30% dos consumidores, pretende utilizar o 13º para fazer as compras natalinas, sendo que do montante de dinheiro, 54,9%, ou R$ 7 bilhões, serão deixados nas caixas registradoras. A quitação de dívidas, que pode ser traduzida como uma forma de reaver o poder de compra, vem na sequência com 23,2%. Já 18% dos consumidores preferem guardar o dinheiro para os tributos pós-festas de fim de ano, e somente 3,9% dos consumidores, vão aplicar o abono natalino na poupança.

Leia tudo sobre: belo-horizontinocomprasnatalvistaprazocartão