Emergente bastante exibida

Festa de 15 anos da filha custou R$ 1,6 milhão, saiu em revistas e teve até o cantor Gusttavo Lima

iG Minas Gerais | Da Redação |

Empresária Ana Cristina Aquino assume plásticas e drenagens
A proprietária da AG Log, Ana Cristina Aquino, suspeita de estar envolvida em um esquema de lavagem de dinheiro conforme a revista “IstoÉ” divulgou no último fim de semana, é uma pessoa extravagante. Emergente social, ela tem orgulho de expor a gastança sem limite. Somente para divulgar a festa de 15 anos da sua filha, ela pagou R$ 70 mil para uma revista de celebridades. O valor é uma parcela mínima do custo total da festa – R$ 1,6 milhão. Debutar a filha em alto estilo era um sonho da mãe. “Ela (a filha) queria viajar para Miami. Eu disse que tinha que fazer a festa e, depois, ela curtiu”, contou Ana Cristina à revista “Veja”. A festa, que começou às 19h de um dia e terminou às 5h do dia seguinte, incluiu ainda shows com os sertanejos Gusttavo Lima e Fernando e Sorocaba, e o nome da mãe no convite. Ela chegou depois de todos os convidados, junto com o cantor Gusttavo Lima. “Parece que ela queria aparecer mais do que a filha”, conta uma pessoa que trabalhou no evento. Durante a comemoração, mãe e filha usaram três vestidos cada, com custo total de R$ 190 mil. Os de Ana Cristina foram feitos no ateliê Patrícia Nascimento, a mesma estilista da cantora Paula Fernandes. Ana Cristina é cliente habitual da estilista. Na loja, que fica no bairro de Lourdes, uma das áreas mais nobres de Belo Horizonte, um modelo de festa não sai por menos de R$ 6.900. Mas as peças da empresária são mais caras porque ela só veste criações exclusivas. “Ela faz questão”, conta Patrícia. A estilista diz que a cliente é “uma mulher marcante” e que compra também modelos casuais. O site de Patrícia deixa claro que é para esse tipo de cliente, que não quer passar despercebida, que ela trabalha. “Desenvolvemos peças suntuosas para uma clientela que inclui misses, artistas e mulheres que buscam vestuário diferenciado e sofisticado”, diz o texto de apresentação. Antes de criar as peças, Patrícia conversa com as clientes para entender seus desejos. Na festa da filha, Ana Cristina queria brilhar. Um dos vestidos que usou tinha 3.000 cristais. Durante boa parte do evento, a empresária andou cercada por seguranças. Quem tem costume de trabalhar em eventos desse porte diz que o comportamento de Ana Cristina é “diferente” do que se vê na alta sociedade. “Ela quer entrar nesse mundo, mas não sabe bem como se comportar”, afirma uma pessoa que esteve na festa. “Acho que foi o primeiro grande evento que ela fez”, diz outra pessoa que também esteve na recepção. A própria Ana Cristina, em entrevista à “Veja”, dá a entender que não tem o costume de realizar festas. Ela afirma que o aniversário da filha e a divulgação do evento em revista de celebridades foram um “cala-boca”. No dia seguinte, a comemoração continuou com um churrasco no mesmo sítio onde aconteceu o baile, em Betim.  Helicóptero e carrões . A festa foi o ponto alto das extravagâncias de Ana Cristina. Mas, no cotidiano, ela também esbanja. De acordo com a revista “IstoÉ”, ela usa um helicóptero quase que diariamente para se locomover entre sua casa e o trabalho. Na garagem, a empresária mantém uma frota de carros de luxo, que inclui um jipe Cherokee. À revista “Veja”, ela declarou que é fã de tratamentos de beleza. Drenagem e massagem estão na rotina da empresária, que também já fez lipoaspiração, colocou próteses de silicone nos seios e faz tratamento para alinhar os dentes. A fortuna de Ana Cristina Aquino é recente. A AG Log, transportadora com sede em Betim, na região metropolitana de Belo Horizonte, e primeira empresa do grupo, foi criada há apenas três anos, em 2010. Investigada . A gastança de Ana Cristina Aquino chamou a atenção da Polícia Federal e a empresária entrou no rol dos investigados em um esquema de lavagem de dinheiro e pagamento de propina a autoridades do Ministério do Trabalho. As empresas dela podem estar envolvidas no esquema que já levou 22 pessoas para a cadeia, na operação Esopo, neste ano. A empresária também pratica delitos como pessoa física porque possui dois CPFs e duas carteiras de identidade com números diferentes. A duplicidade de documentos caracteriza crimes de falsidade ideológica e estelionato. As penas podem chegar a cinco anos de prisão para cada um dos crimes. Mudança . Pouco depois da sua fundação, a AGX Log, criada como suposto braço internacional de operação da AG Log, alterou seu endereço de uma pequena sala comercial no bairro Jardim Teresópolis, na periferia de Betim, para um distrito industrial no Jardim Piemont Sul, na mesma cidade, onde estão concentradas empresas e indústrias de grande porte. A mesma alteração contratual que alterou a sede social da empresa também criou uma nova filial em São Bernardo do Campo, no interior paulista, próximo a grandes montadoras de automóveis. Até o momento, não há registro de nenhum contrato de transporte entre essa empresa e alguma grande montadora. Em seu site, a empresa não revela o tamanho da sua frota e nem quem são seus clientes. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave