Aecistas ironizam José Serra

Aliados de Aécio Neves respondem paulista dizendo que “surpresa” será a candidatura do mineiro

iG Minas Gerais | Isabella Lacerda |

NICO NEMER
Desejo. Serra não esconde vontade de ser candidato à Presidência, apesar do favoritismo de Aécio
Aliados do senador mineiro e pré-candidato à Presidência da República em 2014 pelo PSDB, Aécio Neves, saíram em defesa ontem do tucano e garantiram que ele será lançado ao Palácio do Planalto no ano que vem, independentemente da vontade do ex-governador José Serra. O posicionamento das lideranças é uma resposta à declaração feita anteontem por Serra, quando o paulista disse que ainda vai haver “muitas surpresas” durante a corrida eleitoral para o Palácio do Planalto. Presidente do PSDB de Minas e braço-direito do senador mineiro, o deputado federal Marcus Pestana afirmou que cada coisa tem o seu momento. Segundo ele, apesar de Serra estar sempre se preparando para concorrer à Presidência, a hora, agora, é de Aécio. Ao ser questionado sobre o que seria a “surpresa” a qual o ex-governador de São Paulo se referiu, Pestana foi irônico. “Ele (Serra) se referiu a incidentes históricos. Por exemplo, quem imaginaria que o Fernando Collor iria ganhar a Presidência em 1989? A grande surpresa do PSDB em 2014 será um novo projeto de governo idealizado por Aécio e defendido pela maioria do partido”, afirmou Pestana. A declaração polêmica de Serra aconteceu no mesmo dia em que Aécio participou de um grande evento em Minas Gerais. Na ocasião, o mineiro foi ovacionado por lideranças tucanas e chamado de “presidente”. Mais tarde, porém, o paulista disse em São Paulo ser “muito cedo” para definir qualquer cenário em termos de candidatura e citou o panorama pré-eleitoral em 1994, quando o PSDB se empenhou para lançar como presidente o ex-governador do Rio Grande do Sul Antônio Brito, e Fernando Henrique Cardoso acabou eleito. Para o deputado federal Rodrigo de Castro (PSDB-MG), Serra pode continuar a pleitear uma candidatura em 2014, mas o partido já considera Aécio o nome “certo”. “No momento certo, o partido vai bater o martelo no nome do Aécio. É uma necessidade ele ser o candidato. E isso vai acontecer no ano que vem, sem nenhuma surpresa ou mudança no percurso”, opinou. Os tucanos de Minas descartam, desde o início do ano, uma mudança no rumo eleitoral de 2014 e, desde então, lutam para que Serra defenda a candidatura de Aécio. Apesar disso, nas últimas semanas, o paulista intensificou suas agendas públicas pelo país e, segundo aliados, ele fará “marcação homem a homem” no correligionário.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave