Minas não suporta qualidade técnica do Molico-Nestlé e perde mais uma vez

Jovem equipe mineira não foi páreo para as atuais campeãs brasileiras, que venceram com facilidade duelo na Arena Vivo

iG Minas Gerais | DÉBORA FERREIRA |

JOÃO PIRES-FOTOJUMP
A capitã Carla, do Minas, bem que tentou, mas parou na boa armação do bloqueio paulista
O Molico-Nestlé mostrou que está mesmo na defesa de seu título e venceu a inexperiente equipe do Minas por 3 sets a 0, (21/12, 21/9 e 21/17), na noite desta terça, na Arena Vivo. Em uma partida de muitos ralis, a bi-campeã olímpica Scheila foi o grande destaque, com 14 pontos marcados. A experiente líbero Arlene foi o destaque minastenista no primeiro set. A jogadora conseguia chegar até nas bolas mais difíceis, mas o ataque parava no bloqueio do Molico-Nestlé ou abusava dos erros, que custaram um massacre do adversário. A falta de experiência do jovem time da casa era notável. Outro ponto fraco da equipe foram os saques errados. Apenas no primeiro set, as minastenistas erraram o fundamento cinco vezes, enquanto o time de Osasco chegou a marcar até aces. No segundo set, a superioridade das paulistas, vencedoras da Superliga do ano anterior, ficou ainda mais visível. A oposta Scheila, da seleção brasileira, explorou bem o bloqueio e fez a diferença na quadra. Apenas nesta etapa, anotou seis pontos, sendo quatro de ataque e dois de bloqueio. Somente no terceiro set é que veio a reação do time do casa. Envolvidos pela torcida, que apesar de pequena, fazia muito barulho, as jogadoras ganharam confiança e começaram a encaixar os ataques e "perseguir" o Osasco no placar. O bloqueio passou a funcionar melhor e o ataque, pelas pontas, enfim deu resultado. O jogo chegou a ficar com apenas um ponto de diferença desde a parcial 15/14, mas não foi suficiente para segurar a equipe visitante. Alaina e Maiara foram as maiores pontuadoras do Minas, com oito pontos no total, cada. Ciente da dificuldade de jogar contra um adversário com maior qualidade e orçamento, o técnico Marco Queiroga elogiou a mudança de atitude de em quadra. “Sabemos da disparidade em relação à outra equipe. As jogadoras entenderam que não adianta ficar presas, temos que aproveitar quem está do nosso lado, e começaram a jogar mais equilibrado”, declarou o treinador. A ponteira Maiara ressaltou a postura da equipe e agradeceu apoio da torcida. “No último set entramos com mais confiança, e a torcida nos ajudou bastante. É uma honra para nós jogar contra as campeãs olímpicas”, afirmou. Outubro Rosa. Antes de iniciar o jogo, as jogadoras do Minas carregaram uma faixa em apoio à campanha do Outubro Rosa, que luta contra o câncer de mama. As atletas da casa ainda distribuíram esmaltes rosa para a torcida presente à Arena Vivo.