NBA garante retorno ao Brasil em 2014; Rio deverá manter posto de sede do evento

Ação no país foi elogiada por membros da cúpula da liga norte-americana. Planejamento pode trazer Varejão e Splitter para segundo duelo

iG Minas Gerais | JOSIAS PEREIRA |

AGIF/ DIVULGAÇÃO
Filho do ex-presidente Fernando Collor, Arnon de Melo comanda as operações da NBA no Brasil
Com um público de mais de 13 mil pessoas, uma organização bastante eficiente e diversos atrativos para os fãs, o primeiro jogo da história da NBA no Brasil causou uma boa impressão nos executivos da liga norte-americana. Em conversa com a imprensa, o diretor de operações da NBA no Brasil, Arnon de Mello, deixou a Arena da Barra, no Rio de Janeiro (RJ), bastante otimista quanto a realização de outro jogo da liga norte-americana em solo brasileiro no ano que vem. Uma das ideias seria promover um encontro entre Cleveland Cavaliers, time do brasileiro Anderson Varejão, e o San Antonio Spurs, do também brasileiro Tiago Splitter e do argentino Manu Ginóbili. "É uma ótima ideia, sempre vamos lutar para ter um jogo em que brasileiros estejam envolvidos. Precisamos ter nossos atletas de volta. O que a gente quer é que eles virem ídolos, que eles figurem no imaginário das crianças e das pessoas. Acima de tudo, queremos que a NBA volte a ocupar o imaginário das pessoas e que o basquete volte a ser o esporte número dois do Brasil", declarou Arnon de Mello. "O chefe (Adam Silver, novo comissário da NBA) saiu sorrindo, ele gostou muito de tudo que viu. Mais do que tudo, a NBA são os times. Vai ser importante ter este feedback das equipes. Posso dizer que os jogadores tiveram um momento maravilhoso no Rio de Janeiro, isto ajuda muito, porque são eles que indicam às outras franquias que é bom jogar no Brasil", completou. Quanto a escolha de outras cidades como sede da partida do próxima ano, Arnon praticamente confirmou que o evento será novamente realizado no Rio de Janeiro, no entanto, afirmou que está estudando outras localidades brasileiras. "A Arena da Barra é a mais preparada, nos dá condições de fazer um grande espetáculo. A gente está estudando outros locais, mas não dá para reformar uma arena inteira. No final da conta, o saldo tem que ser positivo, e realizar um evento aqui nos dá esta condição", concluiu Arnon.

Leia tudo sobre: nbabasqueteretornorio de janeiro