Marin promete luta por Diego Costa, mas Parreira confirma desistência

Atacante do Atlético de Madrid foi convocado pela primeira vez para defender a seleção brasileira no início deste ano, para amistosos com a Rússia e a Itália; jogador optou pela seleção espanhola

iG Minas Gerais | AGÊNCIA ESTADO |

O presidente da CBF, José Maria Marin, e o coordenador técnico da seleção brasileira, Carlos Alberto Parreira, tiveram reações opostas ao serem comunicados e questionados sobre a decisão do atacante Diego Costa de optar por defender a Espanha. Nesta terça-feira, enquanto o dirigente prometeu lutar até as últimas consequências pelo jogador, Parreira avisou que desistiu de Diego Costa para a seleção visando a Copa do Mundo de 2014. "O Brasil lutará até o fim pela inscrição do jogador. Temos um bom contato com a Federação Espanhola de Futebol, mas iremos até as ultimas instâncias para inscrever o atleta", disse Marin, durante evento de apresentação dos centro de treinamentos que estarão disponíveis para as seleções na Copa de 2014. "Ele já escolheu a Espanha, mas isso não encerra o episódio", completou o presidente da CBF. Parreira, porém, avisou que a comissão técnica da seleção brasileira não conta mais com Diego Costa. Por isso, o atacante do Atlético de Madrid está desconvocado dos amistosos de novembro, diante de Honduras e Chile, nos dias 16 e 19 de novembro, em Miami e Toronto, respectivamente. "Fui favorável a que se lutasse ate ele se manifestar. Depois disso, eu não traria mais o atleta O processo se esgotou quando ele disse que não quer jogar pela seleção brasileira", afirmou Parreira, sendo completado por Marin, que discordou, avisando que a CBF vai lutar ao menos para que Diego Costa não atue pela seleção da Espanha. "A comissão tem liberdade de convocar quem quiser, mas vamos lutar pelo que julgamos ser nosso direito", afirmou. Diego Costa foi convocado pela primeira vez para defender a seleção brasileira no início deste ano, para amistosos com a Rússia e a Itália, mas depois não foi lembrado mais. Diante da boa fase do jogador do Atlético de Madrid, a Espanha começou a cogitar chamar o centroavante, se aproveitando de brecha que permite o jogador a atuar por uma outra seleção, desde que não tenha participado de competições oficiais. Na semana passada, Felipão chamou antecipadamente Diego Costa e outros quatro jogadores para os amistosos de novembro sob a alegação de que isto era necessário para que ele conseguissem o visto de entrada nos Estados Unidos. Nesta terça, porém, o jogador encerrou a novela ao confirmar a intenção de jogar na seleção da Espanha em documento oficial divulgado pela Real Federação Espanhola de Futebol. Agora sem Diego Costa, Felipão anuncia nesta quinta-feira, no Rio, a lista de convocados da seleção brasileira para os amistosos com Honduras e Chile. Na semana passada, além do atacante do Atlético de Madrid, agora desconvocado, ele chamou Hulk, Lucas Leiva, Daniel Alves e Marquinhos.