Cabo Verde vai à CAS para voltar às Eliminatórias da Copa de 2014

Seleção africana quer substituir a Tunísia e jogar diante de Camarões por uma vaga no próximo Mundial

iG Minas Gerais | AGÊNCIA ESTADO |

A Federação Cabo-Verdiana de Futebol (FCF) decidiu recorrer à Corte Arbitral do Esporte (CAS, na sigla em inglês), instância máxima da justiça desportiva mundial, para tentar uma vaga nos mata-matas das Eliminatórias Africanas para a Copa do Mundo de 2014, no Brasil. O país lusófono quer substituir a Tunísia e jogar diante de Camarões por uma vaga no próximo Mundial. No começo do mês, a Fifa já havia rejeitado o recurso apresentado por Cabo Verde, que tentava reverter uma punição aplicada à seleção do país, cuja escalação de um jogador em situação irregular provocou a sua eliminação das Eliminatórias. Por causa da sentença aplicada pela entidade, Cabo Verde foi eliminada dos mata-matas. A seleção do país escalou um atleta sem condições legais para atuar na vitória por 2 a 0 sobre a Tunísia, fora de casa, em 7 de setembro. Com o resultado obtido em campo, Cabo Verde ficou com a liderança do Grupo B das Eliminatórias Africanas, mas, com a punição imposta pela Fifa, o placar do jogo foi alterado para 3 a 0 em favor dos tunisianos. Com isso, os cabo-verdianos caíram para a segunda posição da chave, com nove pontos, sendo que apenas os líderes de cada grupo avançaram à terceira fase do qualificatório. Sorteio de 2018 A Fifa confirmou nesta terça a data do sorteio das Eliminatórias da Copa do Mundo de 2018, que será disputada na Rússia. O evento está marcado para o dia 25 de julho de 2015, em St. Petersburg. Os detalhes foram confirmados em Kazan durante reunião da Fifa, que definiu ainda uma expansão no já lucrativo programa de patrocínios da entidade, visando os Mundiais da Rússia e do Catar, em 2022. Pelas definições desta terça, o atual sistema de apoio da Fifa terá uma mudança na terceira linha de patrocinadores. A entidade conta com três níveis: os patrocinadores da Fifa, da Copa do Mundo e os apoiadores nacionais. A alteração vai afetar esta última, que passará a ser ampliada. Os apoiadores nacionais vão dar lugar aos apoiadores regionais. Assim, a Fifa pretende contar com quatro marcas em cada uma das cinco regiões em que atua mais diretamente: América do Sul, América do Norte, Europa, Ásia, Oriente Médio e África. A divisão totalizará 20 empresas.