Tudo o que fizermos, façamos por amor

iG Minas Gerais |

Tudo o que você faz por amor a Jesus, Ele não esquece; tudo o que você faz por obrigação recebe a recompensa da obrigação, mas o que você faz em amor é diferente. Em Hebreus, capítulo 6, verso 10, está escrito: “Porque Deus não é injusto para ficar esquecido do vosso trabalho e do amor que evidenciastes para com o seu nome, pois servistes e ainda servis aos santos”. Nós o amamos porque Ele nos amou primeiro, o amor dEle é tão grande que nos constrange (2Co 5.14). Em 1 Coríntios, 14.1, diz: “Segui o amor [...]”. É preciso caminhar. Seguir Jesus é uma jornada de amor. Deixe de seguir tantas coisas, de ir atrás de doutrinas, de correr de um lado para o outro; siga o amor. Em minha casa já aconteceu de a boia da caixa d’água estragar, mas a água continuou entrando e a caixa transbordou. Esse transbordar é abundar. Filipenses 1.9 diz: “E também faço essa oração: que o vosso amor aumente mais e mais”. Que o amor seja abundante em nós. Jesus é o nosso modelo de vida, Ele é a nossa doutrina, precisamos segui-Lo. Normalmente, amamos impondo condições, mas o amor de Jesus é inalterável, incondicional. As pessoas não entendem a beleza da vida, toda a graça que existe no viver em amor. Jesus amou os seus até o fim, mesmo que eles o tivessem desobedecido, negado, o irritado; mas a Palavra diz que “Jesus os amou até o fim”. João 15.9: “Como o Pai me amou, também eu vos amei; permanecei no meu amor”. Como o Pai ama Jesus, Ele também nos ama. Muitos têm dificuldade para entender o amor de Deus, porque o ambiente onde foram criados, a vida e os relacionamentos não foram à base do amor. Foram baseados em trocas, compensações, mas não amor. Nós só podemos dar o que temos, só podemos dar aquilo que recebemos. Mas aquele que recebeu o amor de Cristo tem que passá-lo a outros. No verso 13, de João 15, Jesus faz uma afirmação: “Ninguém tem maior amor do que este: de dar a alguém a própria vida em favor dos seus amigos. Vós sois meus amigos, [...]”. Esse é um amor incomparável. 2 Coríntios 5.14: “Pois o amor de Cristo nos constrange [...]”. O que faríamos se não fosse o amor de Cristo? O casamento dado por Deus, os filhos que o Senhor nos deu? O que seria de nós se não fosse o amor de Cristo? É algo tão grande! Nós o amamos porque Ele nos amou primeiro. Na cruz, vemos a realidade do amor do Senhor. Jesus morreu por mim e por você. Ele se entregou por nós. Nada pode nos separar do amor do Senhor. Quando passamos por essas situações difíceis, Satanás diz: “Se Ele o amasse, você não estaria passando por essas coisas; se Ele o amasse não o deixaria nessa situação”. Todas as vezes que o tentador vier, nós temos a Palavra: “Quem nos separará do amor de Cristo? [...]”. Precisamos saber, a cada momento, que Jesus nos ama e que ninguém pode separar-nos do amor de Cristo. Porque Jesus nos ama somos mais do que vencedores. O amor de Jesus é constrangedor. É bem mais do que merecemos ou podemos imaginar, e, por isso, muitos podem ter dificuldade em aceitá-lo. Em João 14, verso 15, Jesus nos mostra como responder a esse amor: “Se me amais, guardareis os meus mandamentos. E eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro Consolador, a fim de que esteja sempre convosco, o Espírito da verdade, que o mundo não pode receber, porque não o vê, nem o conhece; vós o conheceis, porque ele habita convosco e estará em vós” (Jo 14.15-17). “O amor de Deus foi derramado em nossos corações pelo Espírito Santo”; é o Espírito Santo em nós. Nós o amamos porque Ele nos amou. O que conta na nossa vida é corresponder a esse amor. A nossa identidade, como cristão, não é a nossa doutrina, mas o amor. É viver esse amor. Que você escolha cumprir esse mandamento.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave