Única lanchonete do Parque Municipal é interditada pela Vigilância Sanitária

Proprietário trabalha no parque há 52 anos; ele garantiu que vai realizar as adequações e reabrir o estabelecimento em breve

iG Minas Gerais | ALINE DINIZ |

Uma denúncia acabou com o fechamento da  única lanchonete do Parque Municipal Américo Renné Giannetti, localizado no centro de Belo Horizonte. Falta de higiene, maquinário velho e alimentos mal acondicionados foram algumas das causas que fez com a Vigilância Sanitária determinasse, na quarta-feira (23), a interdição do estabelecimento. Segundo a assessoria de imprensa da Secretaria Municipal de Saúde da capital mineira, o  bar Ponto das Barcas LTDA - que é de propriedade privada - passou por uma fiscalização de rotina em março de 2013. Na ocasião, foram identificadas falhas físico-estruturais como: falta de pintura e equipamentos antigos. A Vigilância Sanitária notificou o proprietário e requisitou as adequações.  Porém, o dono da lanchonete, Nivaldo Ferreira Fraga, de 71 anos, conseguiu prorrogar o prazo - de um mês - concedido para regular a situação. Os agentes da prefeitura já estavam prestes a voltar ao estabelecimento, quando receberam uma denúncia, por meio do Serviço de Atendimento ao Consumidor (SAC), e precisaram antecipar a visita. “Trabalho no parque há 52 anos,  já estou realizando a reforma. Precisarei adequar a fritura de pasteis e comprar algumas máquinas, mas, se Deus quiser, vamos reabrir em breve”, afirma Fraga. Além do bar, Nivaldo é o responsável pelos barcos do parque. A assistente administrativa, de 30 anos, leva seu filho, de 3, pelo menos uma vez ao parque. De acordo com ela, é arriscado comprar lanche no local. “Meu filho já pediu salgados e é difícil  negar, mas tenho medo de uma infecção”, relata. Ela completa ainda que “o estabelecimento não tem uma boa apresentação e os funcionários não usam toucas”. Atendimento prejudicado A Fundação de Parques Municipais informou que os serviços prestados no Parque Municipal passam por processo licitatório e que, além do bar Ponto das Barcas LTDA, existem outros 42 vendedores ambulantes no local. Porém, ainda segundo a fundação, alguns produtos só são comercializados pela lanchonete, o que pode reduzir as opções para os frequentadores do parque. Nivaldo poderá reabrir seu negócio após cumprir o que foi determinado pela vigilância. O órgão precisará  ir até o estabelecimento para averiguar e autorizar, ou não, o funcionamento.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave