Casal suspeito de roubar R$300 mil de posto de combutíveis é preso

Um homem também envolvido no crime está foragido e um outro comparsa ainda não foi identificado; companheira do homem detido também foi presa por lavagem de dinheiro

iG Minas Gerais | Fernanda Viegas |

Um casal suspeito de ter roubado R$ 300 mil de um posto de combustíveis, em junho deste ano, no bairro São Januário, em Ribeirão das Neves, na região metropolitana de Belo Horizonte, foi apresentado pela Polícia Civil, nesta terça-feira (29). Um homem também envolvido no crime está foragido e um outro comparsa ainda não foi identificado. Segundo a delegada Talita Martins Soares, da Delegacia de Furtos e Roubos, Anti- sequestro e Organizações Criminosas, a dupla foi presa pouco mais de dois meses depois do crime. As imagens do circuito de segurança do estabelecimento filmaram toda a ação e ajudaram a polícia a chegar nos suspeitos, que não taparam os rostos durante a ação. As gravações mostram uma das funcionárias facilitando a entrada de dois homens no escritório do posto. De acordo com a delegada, a porta do local possui acesso por senha e Débora Bruna Arcanjo, de 19 anos, teria contribuído para o roubo. Ela trabalhava com um contrato temporário de 90 dias e continuou atuando no local até o término dele. Débora fez uma ligação, de cerca de 14 minutos para Douglas Miranda Martins, de 27 anos (rapaz com qual ela manteria um relacionamento), pouco tempo antes de o roubo ser realizado, por volta das 8h da manhã. Quando Martins e seu comparsa e primo Warley Miranda de Oliveira chegaram ao local, conseguiram entrar no escritório e lá renderam quatro funcionárias, incluindo Débora. Levaram o dinheiro que estava no cofre e entraram em um Palio, onde um outro rapaz os esperava para dar cobertura à fuga. Oliveira está foragido, mas já existe um mandado de prisão expedido contra ele. O homem que estava no carro, ainda não foi identificado pela polícia, assim como o veículo também não foi localizado. Depois de conhecer as imagens do crime, a polícia desconfiou das atitudes de Débora e a investigou. A mulher chegou a apresentar um outro namorado para proteger Martins. Mas mais tarde confessou todo o esquema. Ela contou que ficaria com 10% do total roubado, e ganhou pouco mais de R$ 20 mil, já que Martins alegou para ela que teria conseguido aproximadamente R$ 220 mil. A polícia recuperou R$ 32 mil em dinheiro, apreendeu dois veículos, que as investigações apontam que foram comprados com o dinheiro do roubo, além dos objetos encontrados na casa de Martins e de Débora. Eles teriam mobiliados suas casas, comprando televisores, computadores, armário de cozinha e jogo de quarto, por exemplo. Martins, que nega a participação no crime, está preso no Presídio de São Joaquim de Bicas. Débora foi encaminhada para o Presídio Feminino José Abranches Gonçalves, em Ribeirão das Neves. Outra prisão A mulher que mora com Martins e tem uma filha com ele, Elaine Cardoso da Silva, foi detida e responde em liberdade por lavagem de dinheiro. De acordo com a delegada, todos os bens adquiridos pelo homem (veículos, objetos e aluguel), após a data do roubo, estão no nome dela. Elaine informou que ele que fez isso a pedido de Martins, já que ele não tem uma profissão fixa. Ela já tem passagem pela polícia por envolvimento com o tráfico de drogas.