Senadora norte-americana pede que NSA não espione aliados

A presidente da Comissão de Inteligência solicitou "uma revisão total dos programas de espionagem" do país após as denúncias de que a Agência teria rastreado a chanceler alemã

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

A Senadora democrata, Dianne Feinstein, presidente da Comissão de Inteligência, solicitou que fosse realizada "uma revisão total de todos os programas de inteligência" do país após as denúncias de que a Agência de Segurança Nacional (NSA, na sigla em inglês) teria espionado a chanceler da Alemanha, Angela Merkel. De acordo com Feinstein, as informações sobre a espionagem contra Merkel são escassas. A senadora afirmou que enquanto a sua Comissão foi informada dos registros telefônicos da NSA em função de uma ordem judicial secreta, ela não foi informada de forma satisfatória e explica que não sabia que a espionagem contra Merkel levava mais de 10 anos. A senadora disse que o presidente norte-americano, Barack Obama, não foi informado de que a chanceler alemã foi espionada desde 2002. Documentos da NSA revelados pelo ex-agente secreto Edward Snowden indicam que pelo menos 35 líderes mundiais foram espionados pelos norte-americanos ao longo dos anos 2000.  

Leia tudo sobre: espionagemchanceler alemãNSA