Após quarto título, dirigente diz que todos querem correr pela Red Bull

Equipe austríaca possuiu, atualmente, o carro mais regulado da Fórmula 1. Christian Horner não vê motivos para saída de Vettel

iG Minas Gerais | agência estado |

DIVULGAÇÃO/FÓRMULA 1
undefined
O chefe da equipe Red Bull, Christian Horner, disse neste domingo que a equipe, agora tetracampeã do Mundial de Construtores, é desejada por todos os pilotos, além de avaliar como improvável a possibilidade do alemão Sebastian Vettel, tetracampeão do Mundial de Pilotos, deixá-la no futuro. Neste domingo, Vettel venceu o GP da Índia, o que garantiu o seu título e o da Red Bull, mesmo que ainda restem três provas para o encerramento da temporada 2013 da Fórmula 1. "Todo piloto no pit lane gostaria de estar em um dos nossos carros nesse momento", disse Horner. "Sebastian gosta de pilotar pela equipe, cresceu com a equipe, porque ele gostaria de estar em outro lugar?". Vettel, de 26 anos, tem contrato com a Red Bull até a temporada 2015 e começou a sua relação com a equipe quando tinha apenas 14 anos. Horner disse que o alemão é "agora um dos grandes de todos os tempos", juntando-se Juan Manuel Fangio, Michael Schumacher e Alain Prost como pilotos que já venceram ao menos quatro campeonatos. "Para Sebastian, ter se juntado aos nomes ilustres de Fangio, Prost e Schumacher é uma conquista incrível, especialmente sendo tão jovem, e é um privilégio trabalhar com ele", disse Horner. "É um grande dia dia para a equipe que venceu seu quarto campeonato de construtores consecutivo", acrescentou. Horner disse que, embora o trabalho em equipe tenha sido fundamental para o sucesso da Red Bull, Vettel teve um papel inegavelmente vital. "Você pode ter o melhor piloto ou o melhor projetista do mundo, mas se vocês não funcionam como uma equipe, isso nunca vai funcionar", disse. "Mas, então, sem Sebastian, é claro que nós não ganharíamos quatro títulos consecutivos". Mark Webber, companheiro de equipe de Vettel, tinha menos a celebrar neste domingo, depois que ele recebeu uma ordem da equipe para abandonar quando estava em segundo lugar na 42ª volta devido a u, problema com o alternador do seu carro. "Webber estava fazendo uma corrida forte e teria terminado em segundo", disse Horner. "Depois da falha no carro de Mark, nós estávamos preocupados com o que poderia acontecer com o outro carro. Houve alguns momentos de parar o coração. Como medida de precaução, nós reduzimos a potência do alternador no carro de Vettel".

Leia tudo sobre: rbrchristian hornerf1formula 1