Campeões do mundo

iG Minas Gerais |

Durante a semana inteira, eu atendi mensagens de felicitações pela vitória no Mundial de Clubes de Vôlei do Sada Cruzeiro, time do qual sou presidente. A façanha se deu em Betim, berço natal do clube em 2006. Felicidade indescritível baixou no ginásio de Betim às 17h30, quando o último ponto determinou inapelavelmente a conquista do título com marcador sem direito a dúvidas. Três a zero e margem de distância de 5/6 pontos em cada set. Televisionado em todos os continentes, o jogo, disponível ainda na internet, vem sendo estudado como uma demonstração de uma técnica que contradiz alguns conceitos enraizados do vôlei tradicional. Muita velocidade, coordenação, precisão, ritmo. Pressão e ousadia. Doutro lado, o treinador da seleção russa e meia dúzia de atletas com medalhas olímpicas e mundiais conseguidos nos últimos dois anos. O triunfo se deu contra o campeão de clubes da Europa, num torneio de que participava o tetracampeão mundial Trentino, da Itália. A página já foi virada, e a atenção se fixa nos próximos compromissos, mas a conquista do último domingo, de ter chegado ao topo do Everest, ficará esculpida na memória de muita gente e na história do vôlei brasileiro, que ainda não conhecia esse título mundial. Muitos pedidos de entrevistas e convites a mesas-redondas de todo tipo, que, infelizmente, não tenho como atender. Deixo aqui, na minha coluna e vitrine, a mensagem de profundo agradecimento à generosidade divina que me acompanha quase como sombra, em seguida à comissão técnica e a todos os atletas, ainda aos dirigentes do clube e a toda a meninada que dá a nosso projeto sócio-esportivo um alto-astral. Mais de 800 jovens, alguns que vieram de longe, usam os ginásios que nos são emprestados pelo Cruzeiro, pelo Sesi-Betim, pela Prefeitura de Contagem. Esses jovens que são destinatários de nossos cuidados e que apreendem disciplina, respeito para com o próprio corpo e muitos conhecimentos de vida, devo reconhecer que fazem uma diferença incrível. Não descem em quadra, ficam ao lado ou nas arquibancadas, sonhando um dia vestir uma camisa de titular, se transformar num William, num Wallace, ou num Douglas, Eder, Leal, Filipe, Isac e esse incrível Serginho, que, subestimado há quatro anos, está dando aulas ao mundo e ganhando títulos atrás de títulos. O esporte é uma forma sadia, inteligente de desenvolver as potencialidades humanas. Olimpíadas eram os jogos que se davam no Olimpo, tão importantes que aconteciam na morada dos deuses mitológicos da antiga Grécia. Nunca podemos esquecer que quem procura o controle e a superação de suas capacidades físicas conseguirá ultrapassar outros obstáculos de ordem existencial. Respondo assim a todos e agradeço, e até a próxima vitória.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave