Barbacena é a terceira região produtora de rosas do país

A cidade do Campo das Vertentes vende 5 milhões de rosas e 1,5 milhão de flores por ano

iG Minas Gerais | Helenice Laguardia |

Picasa
undefined
Rosa gosta de região montanhosa, altitude acima de 700 m e clima mais frio. Tudo isso tem em Barbacena, a mais de 1.150 m acima do nível do mar, na região mineira de Campo das Vertentes, e nas cidades que formam o arranjo produtivo local – 14 ao todo – com 80 produtores de rosas e flores e 80 milhões de hastes por ano, de acordo com o diretor da Agência de Desenvolvimento Integrado de Barbacena (Agir), Felipe Alvim.   Com venda de 5 milhões de rosas e 1,5 milhão de flores no ano passado, Barbacena concentra o terceiro lugar em produção no país, de acordo com a presidente da Associação Barbacenense de Rosas e Flores (Abarflores), Sheila Loschi, baseada em levantamento do Instituto Brasileiro de Floricultura. Apesar das perdas de 30% na produção, neste ano, a expectativa é de aumentar em 5% o volume nas áreas plantadas na comparação com 2012. No maior volume de pedidos, a preferência ainda é pela rosa vermelha, a mais vendida. Mas as rosas diferenciadas e mescladas tem tido muita procura. De acordo com o diretor da Agir, Felipe Alvim, 70% das vendas são para o mercado interno e 30% para exportação, que acontece de janeiro a março, para Portugal. “Nosso objetivo é expandir isso”, diz. Um Centro de Distribuição da Abarflores, de 1.200 m² às margens da BR–040, deve ajudar também. “A gente quer fazer toda a comercialização do Estado e fazer Barbacena ser um grande entreposto comercial”, planeja Alvim. “Barbacena produz rosas há mais de 50 anos com momentos de sucesso, de exportação, depois decadência e, agora, a gente está tentando retomar aquilo que Barbacena já foi e o título de Cidade das Rosas”, diz Loschi. Nos sítios, o momento é de otimismo. Produtor há 18 anos, Mário Raimundo de Melo produz 12 mil dúzias por mês e quer chegar a 20 mil dúzias de rosas e flores em quatro anos. A área com 150 mil pés de rosas com 15 variedades, tem seis diferentes tipos de flores. “Não expande mais por limite de mão de obra. Hoje emprego 30 pessoas”, diz Melo, dono de áreas em Barbacena e Alfredo Vasconcelos. Nos preços, Melo explica que as cotações variam de acordo com a classificação. Para a dúzia da rosa longa, a mais valorizada, o produtor recebe R$ 12, a média sai entre R$ 8 a R$ 10 e a curta a R$ 5. “A gente chega com preço competitivo por ter custo de distribuição menor pela localização estratégica de Barbacena e a tecnologia”, explica Melo. Sheila Loschi tem filhos dentista e advogado que largaram as profissões e foram plantar rosa. “A tendência familiar está no sangue e tem a parte financeira da produção que é lucrativa”. Festa das rosas Evento. Em outubro, com 20 estandes, 16 tratores ornados e 40 produtores expondo e vendendo mudas e flores, aconteceu a Festa das Rosas em Barbacena gerando R$ 5 milhões em negócios.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave