Início de sequência decisiva

Para ténico Marcelo Oliveira, equipe fica “mais aguda” com a volta de Dagoberto ao time titular

iG Minas Gerais | Bruno Trindade |

JOAO GODINHO / O TEMPO
Afinados. O atacante Dagoberto e o técnico Marcelo Oliveira esperam o time mais ofensivo hoje do que nas últimas partidas
O Cruzeiro inicia, a partir do jogo de hoje, contra o Criciúma, às 18h30, no Mineirão, pela 31ª rodada do Campeonato Brasileiro, a sequência mais importante da competição até agora para a equipe celeste, já que três vitórias consecutivas podem confirmar o título de tricampeão para o clube mineiro.   Depois do Tigre, os cruzeirenses enfrentarão o Santos, na Vila Belmiro, e o Grêmio, vice-líder e principal concorrente da Raposa na busca pelo título. O local da partida contra o tricolor gaúcho ainda não está confirmado devido à punição recebida pelo clube celeste em decorrência dos incidentes no clássico contra o Atlético. No cenário mais otimista, se o Cruzeiro vencer Criciúma e Santos, e se o Grêmio tropeçar nos dois próximos compromissos, a Raposa pode ser campeã no confronto direto com os gaúchos. E, para começar essa sequência bem, os atletas sabem que precisam retomar hoje o bom futebol apresentado ao longo da competição, tanto pela qualidade dos adversários quanto para chegar “voando” no confronto com o Grêmio, na 33ª rodada, para reduzir as chances de conquista dos gaúchos ou até mesmo para sacramentar a conquista do caneco. O atacante Dagoberto, substituto do lesionado Ricardo Goulart, e com experiência de ter sido três vezes campeão brasileiro, dá a receita para essa reta final. “Regularidade é uma palavra que carrego comigo há um bom tempo, e estamos vendo isso aqui no Cruzeiro. Temos uma gordura para queimar e estamos sabendo usá-la. Estamos perto do objetivo, mas precisamos manter o foco”, declarou. Para o atacante Borges, que volta a atuar do lado do lado de Dagol, companheiro de São Paulo, onde ambos conquistaram dois títulos brasileiros (2007 e 2008), a equipe precisa repetir o que vinha fazendo ao longo da disputa e dar um algo a mais. “Temos que jogar como vínhamos jogando. Todos têm consciência de que tivemos dificuldade nas últimas partidas. Mais do que nunca, precisamos voltar a jogar aquele futebol. Todo mundo parar e olhar pra dentro de si, tirar um algo a mais, e colocar em prática” afirmou o centroavante. O técnico Marcelo Oliveira falou sobre as mudanças na equipe com a entrada de Dagoberto, no ataque, e de Henrique, no meio-campo. “Primeiro, não temos que lamentar por quem está ausente e, sim, temos que valorizar quem vai entrar, porque lesões acontecem em todas as equipes. O Goulart é mais combativo que o Dagoberto. E o Dagoberto é mais agudo, vai criar mais finalizações e, como temos que tomar a iniciativa, vai ser muito útil. Ali no meio, não muda tanto”, analisou Marcelo Oliveira.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave