Escapada até o interior

Mafra e Sintra guardam preciosidades; Cascais e Estoril são balneários de veraneio

iG Minas Gerais | Paulo Campos |

Associação de Turismo de Lisboa/Divulgação
Mafra. Palácio foi concluído em 1730
Um dia em Lisboa deve ser dedicado aos arredores, especialmente às cidades de Mafra, Sintra e Cascais. Amantes da natureza podem desvendar o Parque Nacional Sintra-Cascais. Antes de chegar lá, faça um desvio até Mafra para visitar uma joia da arquitetura portuguesa. A visita custa 6 euros e se restringe aos aposentos do convento e do Palácio Real, à basílica e à biblioteca. O complexo impressiona pela monumentalidade – envolveu mais de 45 mil artesãos e muito ouro. Sua construção é descrita às minúcias pelo escritor José Saramago em “Memorial do Convento”. Prometido aos franciscanos por dom João V, o convento que deveria abrigar 13 franciscanos tornou-se a obra mais valiosa de seu reinado. Parte de seu precioso acervo do século XIX foi levado por dom João VI em sua fuga para o Brasil. Mafra é de um gigantismo fora do comum: 880 quartos e 1.200 salas, mas somente as fachadas norte e sul do segundo piso estão abertas à visitação, incluindo várias salas, como a do trono e o quarto da rainha. Nosso guia pelos salões e extensos corredores, Paulo Salcedas, conta que dom João V queria uma igreja como basílica de São Pedro, em Roma. Portanto, a de Mafra é uma miniatura do templo romano, com 58 estátuas em mármore na fachada. Quando chego à biblioteca, perco o fôlego. Meus olhos brilham diante de 136 estantes de livros de pinho nórdico em estilo rococó e 36 mil volumes com encadernações de couro. Entre as raridades, obras censuradas pela Inquisição, a primeira enciclopédia do mundo, do século XVII, e a segunda edição de “Os Lusíadas”, de Camões. Sintra De Mafra a Sintra, são 20 km ou 15 minutos. Os Parques Nacionais de Sintra-Cascais são escapada para mais de um dia, se você quiser visitar todos os palácios e atrativos. Por ter um ar mais fresco, Sintra era lugar de veraneio da família real portuguesa. É um lugar agradabilíssimo, com chalés, restaurantes, casinhas medievais, lojinhas em vielas e palacetes. Aproveite e pare na confeitaria A Periquita para comer dois doces típicos locais, travesseiro, um folheado recheado com doce e amêndoas, e a queijada, ao preço, respectivamente, de 1,25 euro e 0,80 euro. Em Sintra, pode-se visitar o Castelo dos Mouros, o Palácio Nacional da Vila, o Palácio de Queluz, o Chalet da Condessa, o Palácio de Monserrate e o Convento dos Capucchinos, em bilhetes que podem combinar as atrações. Mas a maioria do turistas teima em apenas visitar o Palácio da Pena (ingresso a 13,50 euros), aquele que inspirou Disney a criar o palácio da Bela Adormecida nos contos de fada. Pela foto abaixo, você percebe que o palácio é um sonho, com muitos detalhes árabes e plantas exóticas. Para chegar lá, é preciso encarar uma subida de 15 minutos por um bosque ou apanhar vans na base do parque.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave