Maxibrincos

Depois dos maxicolares, eles prometem ser o novo objeto de desejo das mulheres; apesar de grandes, “brincões” estão mais leves

iG Minas Gerais | Luna Normand |

Agência Fotosite
Victor Dzenk também aposta nos “brincões”
Aposte nos brincos no próximo verão. Ou melhor, brincos não, “brincões”. Sucesso na década de 2000, quando enfeitavam as orelhas de nove entre dez mulheres, eles ficaram esquecidos desde que os maxicolares passaram a adornar as mulheres e reinar há algumas boas temporadas. Mas se a tendência das passarelas se confirmar, os brincos gigantes estão mesmo de volta. Nos principais desfiles de verão da última edição do São Paulo Fashion Week, eles marcaram presença na passarela de grifes como Ronaldo Fraga, Triton e Água de Coco. E a tendência parece que veio mesmo pra ficar. Os superbrincos estão também entres as apostas dos mineiros Mary Arantes, da Mary Design, Heliana Lages e Victor Dzenk para o inverno do ano que vem, apresentadas durante o Minas Trend Preview, no início do mês. Dzenk, que desfila novamente no próximo dia 6, no Fashion Rio Inverno 2014, vai mostrar, numa extensão da coleção do MW, “brincões” feitos em parceria com a marca Azamê. “Eles surgem não só como acessório de verão, mas também de inverno. Acho que existe um certo cansaço do maxicolar”, afirma. O estilista Fernando Silva, da equipe de estilo de Victor Dzenk, ressalta que a partir de agora a atenção sai do colo e vai para as orelhas, com peças misturando materiais como acrílico, metais e cristais. “Neste contexto, o maxicolar ficou ‘out’”, alerta. Os brincos também ganharam proporções acima do normal nas mãos da designer mineira Heliana Lages, que participou do desfile coletivo da última edição do Minas Trend. Segundo ela, eles voltam volumosos e com aproximadamente 10 cm de comprimento. “Essa tendência surgiu há alguns meses, reflexo da moda internacional, e agora começa a ganhar força”, diz. Tecnologia Diferentemente de uns anos atrás, quando, além de imensos, os brincos também eram pesados, desta vez eles vêm mais leves, confortáveis e de diversas formas e materiais: pedrarias, strass, correntes, penas, formas geométricas, franjas e estampas, dentre outros. “Hoje em dia, temos uma gama de materiais e técnicas que nos possibilita produzir peças leves e grandes ao mesmo tempo. Um bom exemplo disso é a fotocorrosão, um processo que trabalha com chapa”, destaca Mary Arantes, proprietária da grife Mary Design. Há duas temporadas ela já apostava nos brincos longos e volumosos. “Não só os brincos, mas as maxibijuterias em geral, quando usadas, se tornam quase o foco principal da roupa, o diferencial do look”, afirma. Como usar? A stylist Gabi Chaves ensina como usar os maxibrincos sem parecer uma árvore de natal. Segundo ela, se optar pelo acessório, deixe os colares de lado. “Nunca use os dois juntos, porque gera muita informação. Nestes casos, abuse dos anéis e pulseiras”, indica. O importante, em qualquer caso, é respeitar o seu estilo. “Não adianta querer usar só porque está na moda. Para usar tem que ser uma mulher mais audaciosa, disposta a ousar”, opina a designer Heliana Lages.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave