Painel encomendado por JK é tampado por cimento

Problema foi causado por operário que reformava calçada; pintura é de 1958

iG Minas Gerais | LUCAS SIMÕES |

Douglas Magno FOTO: Douglas Magn
Arte. Juscelino Kubitschek encomendou painel para representar a educação na capital
São mais de 50 anos de resistência à chuva, ao sol e à ação do tempo, mas por muito pouco uma obra inspirada no renomado pintor Cândido Portinari e encomendada pelo então presidente Juscelino Kubitschek para representar a educação na capital mineira não acabou completamente destruída. A peça de arte está exposta na entrada do campus I do Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais (Cefet-MG), na avenida Amazonas, no bairro Nova Suíssa, na região Oeste. Ela foi parcialmente coberta de cimento, após um pedreiro que reformava a calçada da escola cometer um engano. A instituição informou que vai reformar a obra e garante que os traços serão refeitos de forma fiel ao trabalho original.   A pintura denominada “Oficinas” foi produzida em 1958, ano de inauguração do Cefet-MG. O autor da obra é o pintor Luís Guimarães, que apesar de ser desconhecido na época, encantou JK pelos traços semelhantes aos de Portinari. Dessa forma, o então presidente encomendou um painel para representar alguns dos primeiros cursos da recém-criada escola técnica, como os de marcenaria e mecânica. Apesar de ter se desgastado com o tempo, apresentar algumas rachaduras e até duas pequenas pichações, os traços reproduzidos à mão pelo pintor – sem usar instrumentos auxiliares comuns à época, como réguas – permaneciam intactos até o ano passado. Como foi. O restaurador Bruno Lombardi, coordenador do Curso de Artes do Cefet-MG e responsável pela reforma da obra, explica que uma empresa terceirizada fazia a reforma do passeio e dos jardins do campus, em julho, quando um pedreiro cometeu o erro de cimentar a parte inferior da pintura. “Quando vi o cimento, pensei em uma atitude criminosa. Mas não foi culpa da empresa, foi um funcionário que teve uma atitude infeliz”, disse. Diante disso, a reforma do painel, que era cogitada já em 2012, ganhou força neste ano, segundo o diretor do campus I do Cefet-MG, Wanderlei Ferreira de Freitas. Ele informou que não houve sanção à empresa terceirizada e que será possível reformar a obra. “Já tínhamos reformado um painel na sala dos professores antes. Esse episódio deu força para reformarmos o painel externo de forma fiel à original”. Sugestão Leitor. Esta reportagem foi sugerida por um leitor de O TEMPO, que relatou a situação atual do painel externo do Cefet-MG. Envie sua sugestão pelo endereço cidades@otempo.com.br .

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave