Jurídico alvinegro considera punição ao rival muito branda

iG Minas Gerais | Rômulo Abreu |

ALEX DE JESUS/O TEMPO
Torcida do Cruzeiro brigou com a PM e atirou objetos nos atleticanos
Os incidentes envolvendo a torcida do Cruzeiro no clássico contra o Atlético, disputado no último dia 13 de outubro, no Independência, prometem dar pano para a manga. Após o julgamento ocorrido nessa quinta-feira, que impôs multa aos dois clubes e perda de um mando de campo à Raposa, o departamento jurídico do Galo mostrou descontentamento com a “punição branda” ao rival e vai recorrer.   Dentro do prazo estipulado de três dias, o Atlético vai enviar um recurso contra a multa de R$20 mil aplicada pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) por ser o mandante. Em contato com O TEMPO, o diretor jurídico alvinegro, Lásaro Cândido da Cunha, criticou a punição imposta ao rival. “Consideramos que a pena foi leve em relação ao que a torcida do Cruzeiro fez. Foi um estímulo à violência a pena que o Cruzeiro recebeu por atos quase animalescos. A briga foi entre as torcidas do próprio time, além de jogar bomba, pedra, cusparada, colocando em risco nossos torcedores. Além disso, a torcida do Cruzeiro é reincidente. O Atlético se cercou das providências e considera que a punição foi muito branda. Daqui a pouco, vão ter que morrer três (pessoas) para se ter uma pena exemplar a esse time. Quem tem a legitimidade para recorrer contra a decisão que foi proferida contra o Cruzeiro é a Procuradoria. O que o Atlético fez foi um comunicado de infração juntando provas para que seja apenado”, disse Lásaro Cândido da Cunha.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave