Compensação será cuidar de igrejas

iG Minas Gerais | Luciene Câmara |

Como forma de compensar os danos já causados pelo edifício Mont D’or, a construtora Viver terá que reformar e adotar por cinco anos os jardins das igrejas São José, Sagrado Coração de Jesus e Nossa Senhora da Boa Viagem, na capital. A empresa fica responsável também por criar e executar um projeto de iluminação nesses locais. As medidas foram definidas pelo Conselho Deliberativo do Patrimônio Cultural do Município de Belo Horizonte.   O Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) também determinou que a Viver arque com estudos para o tombamento estadual da serra do Curral, que atualmente só é tombada em nível federal e municipal. Reposta. Em nota, a construtora Viver informou apenas que assinou o Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) e que retomará as obras após a legalização do novo projeto de edificação, o que depende dos prazos dos órgãos públicos para ser concluído. Segundo a empresa, os clientes estão sendo “constantemente” informados sobre o andamento do caso. A Viver não confirmou o valor de seu prejuízo com a redução dos prédios e os possíveis processos judiciais movidos por clientes que se sintam lesados. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave