Após perder pênalti decisivo, Pato admite erro, mas discorda de displicência

Atacante afirmou ter certeza de que Dida sairia antes da batida e disse que não quis tentar marcar um gol bonito de cavadinha

iG Minas Gerais | AGÊNCIA ESTADO |

AP Photo/Andre Penner
Pato afirmou estar "p...da vida e chateado"
Por meio de uma nota oficial distribuída pelo Corinthians, Alexandre Pato quebrou o silêncio nesta sexta-feira. Horas antes de voltar à rotina do clube, o que fará no treino da tarde no CT do Parque Ecológico, o atacante se explicar por ter perdido a quinta e última cobrança da decisão por pênaltis que garantiu o Grêmio nas quartas de final da Copa do Brasil. "Aceito todas as críticas pelo meu erro. Mas quero deixar claro que não fui displicente ou relapso para a batida. Errei, sim, mas não fui dar cavadinha, nem tentar bonito. Tenham certeza de que estou tão p...da vida, chateado", escreveu Alexandre Pato, que assina o próprio comunicado. O jogador foi muito criticado pela torcida porque tentou dar uma cavadinha, apostando que Dida cairia no canto. Mas o goleiro, famoso pelo sua alta capacidade de defender pênaltis, esperou no meio e segurou a bola com tranquilidade. A crítica dos torcedores também é porque Pato teria deixado o gramado da Arena Grêmio sem demonstrar estar abalado com o erro que custou a eliminação na Copa do Brasil e a chance de estar na Libertadores do ano que vem. "Trabalhei muitos anos com o Dida. Eu tinha certeza de que ele sairia antes da minha batida, como fez nas outras quatro cobranças, tanto que ele não acertou o canto contra o Romarinho e o Alessandro. Sabendo disso, escolhi bater no meio do gol, para aproveitar a saída dele. Achei que essa era a melhor alternativa para marcar o gol", observou Pato, que jogou com Dida no Milan. Como Romarinho está suspenso e Guerrero acabou de passar por cirurgia, tudo indica que Alexandre Pato será titular no clássico contra o Santos, neste domingo, em Araraquara. O centroavante de 15 milhões de euros se diz pronto. "Sou homem, assumo minha responsabilidade e sigo à disposição do Corinthians para tentarmos terminar o ano melhor do que estamos. Porque o jogo coletivo é assim, quando perde, perdem todos. Quando ganha, ganham todos."

Leia tudo sobre: alexandre patofutebolesportecorinthianspenalticopa do brasilgremio