Atlético vai recorrer da decisão do STJD e quer punição mais severa ao Cruzeiro

Advogado do Galo criticou o fato de o rival ter perdido apenas um mando de campo e alegou que pena branda estimula a violência nos estádios

iG Minas Gerais | RÔMULO ABREU |

WEBREPÓRTER/FERNANDO ALMEIDA
Cruzeirenses e Atleticanos começaram a esquentar o clássico
Os incidentes envolvendo a torcida do Cruzeiro no clássico contra o Atlético, disputado no último dia 13 de outubro, no Independência, ainda vão dar 'pano para a manga'. Após o julgamento ocorrido nessa quinta-feira, que impôs multa aos dois clubes e perda de um mando de campo à Raposa, o departamento jurídico do Galo mostrou descontentamento com a decisão e afirmou que vai recorrer. Dentro do prazo estipulado, de três dias, o Atlético vai enviar recurso contra a multa de R$20 mil aplicada pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), por ser o mandante daquele jogo. Em contato com o reportagem do Super FC, o diretor jurídico do Alvinegro, Lásaro Cândido da Cunha, confirmou a decisão do clube e criticou a punição imposta ao rival. “Consideramos que a pena foi leve em relação ao que a torcida do Cruzeiro fez, foi um estímulo à violência a pena que o Cruzeiro recebeu, por atos quase animalescos que eles praticaram. A briga entre as torcidas do próprio time, além de jogar bomba, pedra, cusparada, colocando em risco nossos torcedores, além do que a torcida do Cruzeiro é reincidente. O Atlético se cercou das providências e considera que a punição foi muito branda. Outros clubes foram apenados com a suspensão de um jogo por coisas mais leves. Daqui a pouco vão ter que morrer três (pessoas) para se ter uma pena exemplar a esse time. Lógico que vamos recorrer porque Atlético não teve qualquer responsabilidade nesse caso”, disse. O dirigente explicou que não cabe ao Atlético recorrer no que tange à punição direcionada ao Cruzeiro, sendo este o papel da Procuradoria do STJD. Ele espera que o órgão auxiliar tome providências e ainda rechaça que a motivação do Galo seja prejudicar o rival, apenas fazer com que a lei se cumpra. “Quem tem a legitimidade para recorrer contra a decisão que foi proferida contra o Cruzeiro é a Procuradoria. O que o Atlético fez foi uma comunicação de infração juntando provas para que seja apenado. O Atlético entende que a Procuradoria vai interpor recurso exigindo pena mais severa, em virtude dos materiais que apresentamos e que atestam que os atos foram muito graves e merecem uma punição maior”, esclareceu. “Nós cumprimos a lei e o Cruzeiro não respeitou. Nossa torcida foi exemplar no clássico embora a torcida do Cruzeiro não tenha sido. O mínimo que podemos fazer é exigir que as regras sejam cumpridas, se o Cruzeiro interpreta de outra forma é problema dele”, concluiu. O Cruzeiro também já declarou que irá recorrer da decisão do tribunal, em entrevista concedida pelo diretor de futebol Alexandre Mattos, após a divulgação do resultado do julgamento. Além de perder um mando de campo, que deverá ser cumprido diante do Grêmio, pela 33ª rodada, o clube levou multa de R$30 mil.

Leia tudo sobre: atleticogalostjdmultapuniçãomando de campotorcidaraposacruzeiroclassico