Missão Marrocos: os combatentes do Mundial - Qual Monterrey veremos na África?

Clube mexicano viveu um excelente primeiro semestre, mais vai de mal a pior no segundo

iG Minas Gerais | GABRIEL PAZINI* |

Reprodução/Facebook
Suazo é o principal jogador do Monterrey, que é uma incógnita no Mundial
O Mundial de Clubes da Fifa, que será disputado em dezembro, no Marrocos, é um marco na história do Atlético. A competição será o maior desafio dos 105 anos do Galo e a chance de conquistar o maior título de sua história, além de fechar o ano de 2013 de forma incrível, com os títulos inéditos do Mundial e da Libertadores, além do Campeonato Mineiro. Uma triplíce coroa de dar inveja. No entanto, outros seis clubes também sonham com a taça e a glória na África. Por conta disso, o Super FC apresenta a série especial "Missão Marrocos: os combatentes do Mundial". A reportagem vai analisar, a cada semana, um participante do torneio. Este primeiro capítulo é dedicado ao Monterrey, clube do México e campeão da Liga dos Campeões da Concacaf. Monterrey vive semestres distintos em 2013 O primeiro semestre foi excelente para o time mexicano. Tricampeão da Liga dos Campeões da Concacaf, o clube garantiu presença pela terceira vez seguida no Mundial de Clubes. E o título veio de maneira empolgante. Após um empate com o conterrâneo Santos Laguna por 0x0 na partida de ida da final, o Monterrey começou o jogo decisivo perdendo por 2x0. No entanto, o time conseguiu uma virada histórica com grandes atuações do atacante chileno Humberto Suazo e do meia argentino Nery Cardozo, e venceu por 4x2. O título foi mais uma coroação do excelente trabalho de Vucetich, que montou este bom time do Monterrey e conquistou o tricampeonato da Concacaf Champions League, além de três participações no Mundial de Clubes e bons jogos. O primeiro semestre terminou dando esperança para os torcedores de um bom final de ano com o Apertura Mexicano e o Mundial de Clubes. Essa esperança, no entanto, diminuiu consideravelmente entre julho e outubro. O bom time do Monterrey caiu muito de produção. Em 14 jogos no Campeonato Mexicano, a equipe conseguiu apenas três vitórias e 13 pontos, e o bom futebol apresentado sumiu. No meio-campo, Nery Cardozo, Meza, Zavala e o brasileiro Lucas Silva não estão fazendo bons jogos. A boa defesa do Monterrey também caiu de produção, sofrendo 21 gols nas 14 partidas. O perigoso ataque só marcou 16 gols, enquanto Suazo, principal jogador do time, anotou apenas seis tentos na temporada. Os números e o momento ruim fizeram a diretoria demitir Vucetich, que estava há quatro anos no comando do clube. Para o seu lugar, foi contratado José Guadalupe Cruz, mas a troca ainda não surtiu efeito e o Monterrey continua vivendo má fase. Curiosamente, Vucetich foi o escolhido para salvar a seleção mexicana, que tentava uma vaga na Copa do Mundo de 2014. Em dois jogos, o treinador conseguiu uma vitória e uma derrota, e o México se classificou graças aos Estados Unidos, que venceram o Panamá e eliminaram o adversário, garantindo os mexicanos na repescagem. No entanto, a vaga para enfrentar a Nova Zelândia e tentar garantir um lugar na Copa do Mundo não foi suficiente, e Vucetich foi demitido pela Federação Mexicana de Futebol, mesmo tendo comandado a seleção em apenas duas partidas. Retrospecto no Mundial também não é animador Nas duas participações anteriores no torneio da Fifa, o Monterrey não chegou em crise como chegará em 2013, e a equipe era praticamente a mesma deste ano. Apesar disso, as participações não agradaram. As expectativas eram boas, pelo bom time e bons jogadores, no entanto, em 2011, o Monterrey foi eliminado pelo Kashiwa Reysol, do Japão, quando fez um péssimo jogo e foi completamente dominado pelos japoneses. No ano passado, os mexicanos foram eliminados pelo Chelsea, após passar pelo Ulsan, da Coreia do Sul, nas quartas de final. No entanto, o time não convenceu nas duas partidas. Apesar disso, na disputa do terceiro lugar, o Monterrey venceu o Al Ahly, do Egito, por 2 x 0. Qual Monterrey veremos na África? Fica a dúvida: Qual Monterrey veremos na África? O do primeiro semestre excelente e emocionante ou o do péssimo segundo semestre? Fato é que o time mexicano é bom e conta com bons jogadores. Orozco é um bom arqueiro, de seleção mexicana. A defesa tem bons atletas e o meio-campo é formado por Nery Cardozo, Meza, Zavala e o brasileiro Lucas Silva. No ataque, além de Humberto Suazo, o Monterrey conta com Arellano, Madrigal e Delgado. No entanto, também é fato que o momento da equipe é péssimo tecnicamente e taticamente em todos os setores. E a fase também é ruim individualmente e coletivamente. Além disso, Cruz não consegue dar um padrão ao time e a pressão por bons resultados é enorme. *com supervisão de Leandro Cabido

Leia tudo sobre: missao marrocosfutebolesporteatleticogalomonterreymundial de clubes