Provas vão começar amanhã

Mais de 7 milhões se inscreveram para o exame, que deve ser o maior entre todas as edições

iG Minas Gerais | André Martins |

RICARDO MALLACO / O TEMPO
Candidatos. Pedro Viana e Ludmila Custódio Vitor vão fazer provas amanhã e no domingo
Começam amanhã as provas da 15ª edição do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), que deve ser a maior da história, de acordo com números do Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). Responsável pela elaboração e aplicação do teste, o órgão informou que 7.173.574 pessoas se inscreveram no exame, a ser realizado em 15 mil salas de 1.161 cidades. Se obtiverem bom resultado, os candidatos podem garantir vaga em universidades públicas e bolsas de estudo em instituições particulares que aderiram ao Programa Universidade para Todos (ProUni), do Ministério da Educação (MEC). O Enem é um dos maiores testes educacionais do mundo e está cada vez mais parceiro de instituições de ensino que o aproveitam em seus processos seletivos – caso da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), que neste ano dispensou o vestibular e aderiu integralmente ao exame. Entretanto, o exame já teve a imagem abalada por várias polêmicas, como divulgação indevida de provas, gabaritos e dados pessoais de estudantes, e até cancelamento. Para desfazer as más impressões deixadas por essas ocorrências, o Inep tomou providências. A principal delas é rastrear os 63 mil malotes que armazenam as provas. Eles vão receber cadeado eletrônico com GPS – sigla em inglês para Global Positioning System. O instituto negou anteontem o boato de que um gabarito dessa edição tenha vazado. expectativa. Candidato a uma vaga no curso de educação física da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), o estudante Pedro Viana, 18, acredita que os erros por parte da organização sejam cada vez mais improváveis. “Com adesão de várias universidades, a importância do Enem aumentou. É um exame que está no planejamento de milhões de estudantes e, por isso, todas as medidas de segurança são bem-vindas”. A despeito dos contratempos históricos, a professora de literatura Eliane Fonseca, diretora pedagógica de um curso pré-vestibular, acredita que a avaliação aprimorou seus mecanismos de seleção. “São testadas competências e habilidades. Não adianta o aluno dominar fórmulas sem saber a aplicabilidade daquilo”. Ela acredita também que os pesos diferenciados das questões contribuem para uma seleção mais apurada. “Se o candidato acerta uma questão considerada difícil e erra uma fácil, que emprega princípios da questão complexa, ele perde ponto nas duas”, detalha. É isso que leva Ludmila Custódio Vitor, 29, a considerar o Enem “uma caixinha de surpresas”. “Não dá pra saber qual pontuação a gente terá, mesmo após o acesso ao gabarito. Uma questão pode anular a outra, e a correção da redação me parece muito subjetiva”, opina a candidata a vaga no curso de medicina da UFMG. Em jogo Vagas. A maioria dos candidatos vão disputar vagas em 21 universidades federais e quatro estaduais, e 29 institutos federais que aderiram ao Sistema de Seleção Unificada (Sisu). Histórico de escândalos 1998. 0O Enem foi criado para atestar a qualidade do ensino médio no país. 2004. 0É concebido o Programa Universidade para Todos (ProUni), para que o bom desempenho no exame passe a valer bolsas. 2009. 0O Enem passa a ser usado como única forma de seleção para ingresso em algumas universidades públicas. Com o furto de um caderno de provas em uma gráfica –, o Ministério da Educação (MEC) cancela o exame. 2010. 0Apesar da criação do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) – para resgatar o interesse dos alunos pelo exame –, dados de 12 milhões de candidatos são divulgados na internet, parte das provas e gabaritos têm erros, e o tema da redação vaza. 2011. Problemas se repetem. 2012. 0MEC assume erro em correção de redações. 2013. 0Professor é condenado por divulgar questões.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave