Chance de ouro

iG Minas Gerais |

Tenho certeza que torcedores de Atlético e Cruzeiro lamentaram, mais uma vez, a desclassificação dos times da Copa do Brasil, depois de ver o que houve no Maracanã, na quarta-feira. Fica a sensação de que o título poderia vir para Belo Horizonte. Coisas do futebol. Alias, como tem acontecido coisas que chamam atenção. Eu mesmo estou assustado com certas constatações. A administração do nossos dois estádios ainda não conseguiram ultrapassar a barreira do amadorismo. Promover um jogo com imagem da torcida rival é demais. O Ministério Público gostou de jogar pra galera e tem sido competente para atrair as atenções. Pena que não quer resolver os problemas que realmente interessam. Já a PM faz de tudo para não ser notada nos eventos de futebol. Não quer se envolver, e os vândalos agem livremente, dentro e fora dos estádios. Os dirigentes estão sem tempo de pensar em ações específicas para aumentar a média de torcedores. A casa do Cruzeiro tem 64 mil cadeiras e 38 mil ficam vazias a cada jogo. A do Atlético é mais modesta. Tem 23 mil cadeiras e, normalmente, a metade fica desocupada. Pelo menos, dentro das quatro linhas, temos motivos para nos orgulhar. Nossos três times caminham para fechar bem o melhor ano do futebol mineiro. BH bom de bola.  Argentina na Cidade do Galo. Outras 18 seleções visitaram a capital mineira e a Toca da Raposa se prepara para receber, quem sabe, Espanha ou Itália. O CT do América também está à disposição. Isso sem falar na British Olympic Association, que escolheu o Minas tênis Clube como base dos treinamentos dos atletas ingleses para os Jogos de 2016. Justiça Desportiva.  Como é complicado esse “livre convencimento motivado dos juízes”. Os togados do STJD puniram o Cruzeiro com perda de mando de campo de uma partida, no voto de dois juízes. Um pediu dois jogos de punição e outro pediu a perda de mando de três partidas. Venceu a maioria e o Cruzeiro terá que fazer um jogo fora da capital, além de pagar multa. Alerta.  Recebi mensagem do torcedor do Cruzeiro, Gladstone Pedrosa, 63, dizendo que, apesar de gostar do trabalho do Marcelo Oliveira, não está entendendo a opção do treinador de deixar em campo três jogadores fora de forma técnica e física: Borges, Egídio e Ceará. Calma Gladstone, a matéria prima está escassa. Segunda casa.  Alexandre Pato anda visitando a capital mineira. O jovem atleta está com o destino indefinido no Corinthians, depois do papelão no jogo contra o Grêmio, no meio de semana. Nada que preocupa. Se ficar sem clube, o jogador poderá entrar para o ramo de aluguel de carros, já que está namorando a filha de um dos maiores CNPJ de Minas Gerais.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave