Novatos não atraem prefeitos e filiam apenas 20 em Minas

Siglas completaram um mês, e tempo dado pela Justiça acabou

iG Minas Gerais | Lucas Pavanelli |

CNTM/DIVULGACAO
Luiz Carlos Miranda é o coordenador do Solidariedade em Minas
Novidades no cenário político brasileiro, os partidos novatos PROS e Solidariedade (SDD) não encantaram os prefeitos de Minas e vão comandar apenas 20 prefeituras de municípios pequenos do interior do Estado. Os prefeitos que se filiaram às duas siglas aproveitaram o período de um mês após a criação das legendas e se filiaram a tempo de não colocar em risco seus mandatos. A Justiça Eleitoral permite a mudança para partidos novos sem maiores consequências durante esse período. A partir de agora, quem resolver se aventurar no PROS ou no SDD corre o risco de perder o cargo. Mais alinhado com a base da presidente Dilma Rousseff (PT), o PROS amealhou nove prefeitos de cidades pequenas, como Serra da Saudade (a menor do Estado, com 809 habitantes), no Centro-Oeste, Cuparaque (4.728), região do Rio Doce, e Três Corações, no Sul, com mais de 70 mil habitantes. O deputado federal Ademir Camilo, presidente do PROS em Minas, afirmou que estava trabalhando na contagem dos novos filiados e não soube citar todos os nove municípios que passarão a ser governados por seu partido. Camilo disse que 280 vereadores de diversos municípios também assinaram as fichas de filiação.Já o SDD, que nasceu como oposição ao governo federal, conseguiu a filiação de outros 11 prefeitos e cerca de 180 vereadores. O Solidariedade vai comandar prefeituras de municípios como Cascalho Rico (2.893 habitantes), no Triângulo, e Areado (13.958), no Sul. Às 17h30, apenas meia hora antes do fim do prazo, o coordenador do SDD em Minas, Luiz Carlos Miranda, ainda tinha esperanças de aumentar o cartel de filiados da legenda. “Isso aqui é uma loucura. Muita gente querendo saber informações, vereadores ligando”, afirmou. Antes do fim do prazo de filiações para quem quer se candidatar no ano que vem – 5 de outubro –, o PROS já havia atraído, em Minas, um deputado federal (o próprio Ademir Camilo) e duas deputadas estaduais. Já o SDD conseguiu filiar um deputado federal, o secretário de Estado Zé Silva e um deputado estadual.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave