Ex-funcionário acusa a Vale de espionar ‘tudo’

Em audiência no Senado, informante disse que mineradora chegou a fazer dossiês e usar grampos

iG Minas Gerais |

Brasília. Espionagem de jornalistas, funcionários e lideranças de organizações sociais; infiltração de pessoas em movimentos sociais e sindicais para obter informações privilegiadas e que contaram até mesmo com o auxílio de agentes da Agência Brasileira de Inteligência (Abin) para treinamento; e pagamento de propina a agentes públicos. Essas foram algumas das acusações feitas pelo ex-funcionário André Almeida à mineradora Vale, em audiência pública da Comissão de Direitos Humanos do Senado, ontem. Almeida afirma ter trabalhado na área de segurança da empresa e vivenciado as práticas citadas. Segundo ele, mesmo antes de ser privatizada a Vale já monitorava quem a interessasse, mas o método foi intensificado durante a gestão de Roger Agnelli, entre 2001 e 2011, e continua na atual administração. De acordo com o ex-funcionário, sempre na busca por lucros, propinas eram pagas a funcionários de órgãos de segurança do governo, sigilos bancários eram quebrados, informações sigilosas do sistema Infoseg, do governo, eram acessadas e grampos telefônicos e dossiês contra políticos e representantes de movimentos sociais eram elaborados. O advogado do ex-funcionário, Ricardo Ribeiro, disse que as acusações podem ser provadas por fotografias, notas fiscais e planilhas apresentadas à Justiça na representação que move contra a Vale desde março de 2013. Ele foi demitido um ano antes. De acordo com Ricardo, foi “criado um FBI dentro da Vale, onde pode tudo, se investiga tudo”. A presidente da comissão, senadora Ana Rita (PT-ES), decidiu oficiar a Polícia Federal, a CPI da Espionagem e o Ministério Público para que investiguem as informações. A petista também quer obter respostas da empresa que, embora tenha sido convidada a participar da audiência, não enviou representantes. A assessoria de imprensa da Vale disse que a empresa não comentaria as declarações de seu ex-funcionário.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave