Fabio Porchat conduz comédia romântica

Em “Meu Passado Me Condena”, casal com pouca afinidade se mete em confusões durante lua de mel em cruzeiro

iG Minas Gerais | Vinícius lacerda |

multishow
Fábio Porchat está no centro de uma atrapalhada lua de mel em um navio
Como o passado pode afetar a vida de jovens recém-casados? Essa é a premissa do filme “Meu Passado Me Condena”, que estreia hoje e tem o ator e roteirista Fábio Porchat como protagonista e a estreante Julia Rezende na direção. O filme, baseado na série de televisão homônima, exibida pelo Multishow, narra a atrapalhada lua de mel em um cruzeiro do casal Fábio (Fábio Porchat), um animador de festa infantil, pão-duro e hipocondríaco, e Miá (Miá Mello), a bela jornalista de economia que gosta de Truffaut. O detalhe é que o casal está junto há menos de um mês. Com perfis tão diferentes e com tão pouco tempo de relação, não é surpresa que o início da viagem dê sinais que a situação vai se complicar. Os piores problemas do casal começam a aparecer a partir do momento que eles encontram o ex-namorado de Miá no navio. O empresário Beto (Alejandro Claveaux) é um homem bem-sucedido, que, na ocasião, participa de uma sessão de autógrafos de seu último livro de autoajuda. A partir daí várias situações inesperadas cometem os casais. Gravado em um cruzeiro marítimo, “Meu Passado Me Condena” passou pela capital do Rio de Janeiro, por Salvador, na Bahia, por Casablanca, no Marrocos, e pelas cidades italianas Savona e Finale Ligure. As exóticas locações poderiam ter sido mais exploradas pela fotografia e, assim, ilustrar e reforçar o tom romântico do filme. As partes mais engraçadas da comédia ficam por conta de Porchat. Mas este é um filme de piadas leves e, por isso, não apresenta traços da comédia rasgada e reflexiva que tanto fazem lembrar o roteirista e ator do canal Porta dos Fundos. Além disso, o longa é pautado por elementos clássicos da indústria hollywoodiana – como a briga do casal central e a dúvida da mulher entre dois homens – que podem fazer o público amante do gênero se aproximar do filme. Mas não traz nada de novo.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave