Projeto enviado a ALMG prevê reajuste salarial de 5% a servidores da educação

A política remuneratória encaminhada pelo Governo de Minas entrará em vigor após aprovação na Assembleia, porém, conforme propõe o projeto, o reajuste terá validade a contar do dia 1º de outubro último e o Executivo vai garantir o pagamento retroativo, depois que a lei for publicada

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

O Projeto de Lei com proposta de política remuneratória para os servidores da Educação em 2013 foi protocolado, pelo Governo de Minas, nesta quinta-feira (25), na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG). A proposta prevê reajuste salarial de 5% para todos os servidores da Educação. O projeto foi divulgado no dia 23 de setembro deste ano, em reunião entre o governo,  integrantes do poder executivo e das entidades que representam os servidores da rede estadual de ensino. Além deste aumento, será antecipada para janeiro de 2014 uma progressão na carreira que estava prevista para janeiro de 2016. Os profissionais da categoria que se enquadrarem nas regras da progressão terão um reajuste adicional de 2,5% sobre a remuneração. O total do índice final de aumento nos salários chegará a 7,62%. Considerando também o pagamento da 3ª parcela da Vantagem Temporária de Antecipação do Posicionamento (VTAP), referente ao reposicionamento na carreira, o aumento médio total nos salários dos professores da educação básica de Minas chegará a 19,9% na comparação com novembro de 2012. Com os reajustes concedidos, o salário inicial dos professores com escolaridade em nível superior da rede estadual de ensino será de R$ 1.455,30, para uma jornada de trabalho de 24 horas/aula semanais. Chegando a um valor 54,78% superior ao piso salarial nacional estabelecido pelo Ministério da Educação. A política remuneratória encaminhada pelo Governo de Minas entrará em vigor após aprovação na Assembleia. No entanto, conforme propõe o projeto, o reajuste terá validade a contar do dia 1º de outubro último e o Executivo vai garantir o pagamento retroativo, depois que a lei for publicada.   Com Agência Minas

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave