Banda larga em MG passa na internet móvel, mas fica em recuperação na fixa

São Paulo, Paraná e Distrito Federal tiveram o melhor resultado aferido pela Agência Nacional de Telecomunicações

iG Minas Gerais | da redação |

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) divulgou nesta sexta-feira (25) o resultado da medição da  qualidade da banda larga fixa e móvel feita em 12 estados no mês de setembro. Nos dois casos, as medições foram realizadas em prestadoras com mais de 50 mil clientes. Em Minas Gerais, nenhuma prestadora de internet fixa (Algar, Net, GVT e Oi) cumpriu todas as metas estabelecidas pela Anatel. Todas ficaram abaixo da meta no quesito perda de pacotes. Além disso, a GVT e a Oi não atingiram os objetivos no item disponibilidade. Na banda larga móvel todas as empresas ficaram acima da meta. Os estados que tiveram o melhor resultado aferido pela medição foram São Paulo e o Paraná, além do Distrito Federal. Em São Paulo, apenas a operadora de internet móvel TIM ficou abaixo da meta da Anatel para a velocidade instantânea, com 94,56% das medições apresentando a velocidade mínima contratada. No Paraná, a prestadora de telefonia fixa Sercomtel e, no Distrito federal, a Oi ficaram abaixo da média na medição de perda de pacote, que é quando um dos pacotes de dados não encontra seu destino por falha ou baixa qualidade de conexão. Para a velocidade instantânea, as empresas teriam que, em pelo menos 95% das medições, apresentar velocidade de, no mínimo, 20% do que foi contratado. A velocidade média medida durante o mês, deve alcançar 60% da velocidade contratada, de acordo com o regulamento da Anatel. Desenvolvido desde o final de 2012, o projeto de medição da qualidade da banda larga pretende reunir informações para a adoção de medidas que permitam a melhoria progressiva da qualidade do serviço. Para as medições da banda larga fixa, foram escolhidos voluntários que tiveram seus dados registrados por medidores (whiteboxes) instalados nos domicílios selecionados. Foram acompanhados indicadores como velocidade instantânea, velocidade média, disponibilidade e período de transmissão. Na banda larga móvel, foram acompanhados dois indicadores: taxa de transmissão instantânea (velocidade de upload e download apurada no momento de utilização da internet pelo usuário) e taxa de transmissão média (média das medições de velocidade instantânea apuradas durante o mês).  

Leia tudo sobre: bandalargainternetqualidadeempresas