Para vencer Vettel, Webber afirma que "tudo precisa ser perfeito"

Australiano vai deixar a Fórmula 1 após o fim da temporada, enquanto alemão está próximo do tetracampeonato

iG Minas Gerais | AGÊNCIA ESTADO |

DIVULGAÇÃO/RBR
Webber não vê triunfo como uma obrigação, mas quer vencer antes da aposentadoria
Poucos pilotos devem estar mais motivados a vencer o GP da Índia no próximo domingo do que Mark Webber. Disputando as suas últimas provas na Fórmula 1, o australiano deixará a Red Bull e a categoria após o término do campeonato, deixando de correr ao lado de Sebastian Vettel, seu companheiro de equipe e que está próximo de conquistar o quarto título mundial. Webber, porém, reconheceu que o seu desafio será complicado e só uma prova perfeita poderá fazê-lo vencer e superar o alemão. Vettel ganhou os últimos dois GPs da Índia e faturou a pole position de ambas as provas. Além disso, chega embalado por cinco vitórias consecutivas nesta temporada. "Será preciso um fim de semana perfeito", disse Webber. "Pole, corrida perfeita, tudo perfeito para superá-lo, esse é o plano". A relação entre Vettel e Webber atingiu o seu ponto mais difícil ao menos de forma pública, no GP da Malásia deste ano, quando o alemão ignorou ordem da equipe e ultrapassou o australiano para garantir a vitória. Vettel, depois, se desculpou, em uma tentativa de amenizar a polêmica. Apesar do atrito, Webber destacou os feitos alcançados por Vettel nos últimos anos na Red Bull. "Ele vem fazendo corridas fenomenais e, obviamente, as estatísticas ao longo dos últimos anos são muito fortes", disse Webber. "Super consistente. Isso é o que o faz forte, obviamente, e também tirar o máximo proveito do pacote. O carro é rápido e ele o capitaliza em vários lugares". Com apenas mais quatro corridas para encerrar uma passagem de 12 anos na Fórmula 1 antes de se transferir para o Mundial de Endurance, Webber nega a necessidade de uma vitória para selar a sua passagem, mas certamente gostaria de conquistá-la. "Minha mentalidade não mudou muito desde o início do ano", disse. "Eu ainda gosto de pilotar o carro no limite. Seria bom vencer até o fim do ano, mas são quatro fins de semana e acabou".

Leia tudo sobre: formula 1f-1esporteautomobilismomark webbersebastian vettel