Rivais julgados por confusão

iG Minas Gerais |

Cruzeiro e Atlético sentam no banco dos réus hoje, a partir de 13h30, no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), para responder sobre as confusões do clássico no Independência, pela 28ª rodada do Brasileirão. Os dois clubes podem sofrer sanções que vão desde multa de R$ 100 a R$ 100 mil até a perda do mando de campo por dez partidas. A Raposa pode ser responsabilizada pelas confusões causadas por sua torcida, incluindo bombas e sinalizadores atirados contra os atleticanos. Já o Galo, como realizador do evento, não teria garantido a segurança no estádio. Apesar de as duas agremiações estarem na mira no Tribunal, o maior prejudicado, caso ocorra a punição com o impedimento de atuar em casa, será a equipe celeste, que luta pelo título. Com a prisão de torcedores durante o jogo, os cruzeirenses esperam que a culpa seja tirada das “costas” do clube. ‘Artimanha’. O Cruzeiro iniciou, no dia 17 de outubro, a venda de ingressos para os seus sócios-torcedores, para as partidas contra Criciúma e Grêmio, muito tempo antes do que acontece normalmente. Com isso, chegaram a surgir boatos de que a atitude teria sido tomada para evitar que a Raposa, caso punida, fizesse esses dois jogos longe do Mineirão. Porém, segundo o procurador-geral do STJD, Paulo Schmidt, a venda antecipada não interfere em nada. “Se estão vendendo ingressos, o problema é deles. Se a punição for aplicada, eles terão que cumprir. Um clube pode vender ingressos para a temporada inteira, e nem por isso está isento de punições”, declarou. (Bruno Trindade)

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave