Red Hot em BH

iG Minas Gerais | Priscila Brito |

Foram necessárias cinco passagens pelo Brasil até que o Red Hot Chili Peppers (RHCP) finalmente incluísse Belo Horizonte na rota, mas a demora é recompensada pelo momento em que a apresentação acontece, com o frescor da turnê de divulgação do último disco, “I'm With You” e no exato ano em que o quarteto completa 30 anos de formação.   A banda californiana de funk rock é a atração principal do Circuito Banco do Brasil, no sábado (2), no Mega Space. O festival, com ingressos esgotados, terá mais outros seis shows (confira abaixo), além de atrações de artes plásticas e esportes.   Com muita história pra contar, o Red Hot deve privilegiar os singles do trabalho mais recente e os sucessos da virada dos anos 1990 para os anos 2000, sem negligenciar os clássicos do início dos anos 1990, época em que estourou no mundo. A aposta é do músico Rodrigo Albuquerque, guitarrista da banda Aeroplane, cover de RHCP. Ao vivo, segundo ele, o grupo conserva a energia que sempre marcou suas performances, apesar de haver mais economia na irreverência, como na estreia em palcos brasileiros, no Rio, em 1993.   “O Flea (baixista) estava de cueca e o Anthony Kiedis (vocalista), de saia. Mudou um pouco desde então, eles estão agora com 50 anos, estão mais ‘comportados’, mas o espírito de descontração continua principalmente na energia”, opina. O que mudou também foi o titular da guitarra, posto de recorrente mutação na história da banda. Josh Klinghoffer, há quatro anos no grupo, é o oitavo nome na função. “Eu sinto falta do John Frusciante (guitarrista por 15 anos). O Josh ainda não tem aquela ligação com o fã, mas está se saindo bem”, avalia Rodrigo. Destaque à parte é o brasileiro Mauro Refosco, percussionista catarinense que integra a banda de apoio desde 2010.   No público, uma mistura de gente na casa dos 30 anos e uma fatia que ainda caminha para os 20, reflexo do público do Red Hot que costuma frequentar os shows da Aeroplane, segundo Rodrigo. O estudante Bernardo Papini, 19, está na ala mais nova. Ele adianta que Anthony Kiedis, que completará 51 anos no dia 1º, um dia antes do show, pode ser surpreendido. “O pessoal está pensando em cantar um happy birthday”, conta. Segundo ele, há fãs do Rio de Janeiro, Brasília e Florianópolis vindo a Belo Horizonte exclusivamente para ver o RHCP.    No sábado (2), antes do show, os fãs terão um encontro com o baterista Chad Smith, que faz pela primeira vez na América Latina uma “drum clinic”, evento no qual ele falará sobre sua experiência musical (mais informações em www.rhcp.com.br/chadsmith).   O festival ainda terá o rock moderno da banda nova-iorquina Yeah Yeah Yeahs, liderada pela performática Karen O, e bandas nacionais (veja abaixo). Um apanhado das principais exposições realizadas pelo Centro Cultural Banco do Brasil e a Copa Brasil de Skate Vertical completam a programação. Segundo a produção, há interesse em realizar o festival novamente na cidade.   Circuito Banco do Brasil Mega Space (av. das Indústrias, 3.000, Dist. Industrial II, Santa Luzia). Dia 2 (sábado), a partir das 16h30. Ingressos esgotado<HY1,2><IP0>s

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave