Pais não sabem como falar sobre o álcool com os filhos

Cerca de 46% dos jovens ingerem bebida alcoólica pela primeira vez dentro da própria casa

iG Minas Gerais | Litza Mattos |

leo fontes/arquivo
Pesquisa mostra que um terço dos pais brasileiros têm grande dificuldade de puxar o assunto “bebida alcoólica” com os filhos
São Paulo. Não espere o almoço de domingo, um passeio em família ou o primeiro “porre”. Use qualquer oportunidade para conversar com o seu filho sobre o consumo responsável de bebidas alcoólicas. Cerca de 46% dos jovens consomem bebida alcoólica pela primeira vez dentro de casa, segundo um estudo realizado pelo International Center for Alcohol Policies (ICAP). Ainda assim, muitos pais não abordam o tema com os filhos. Um terço dos pais brasileiros justificam que a falta desse diálogo se deve à dificuldade de começar o assunto, segundo revela uma pesquisa recente realizada pela Companhia de Bebidas das Américas (Ambev) em 11 países. Para facilitar e oferecer instrumentos para essa conversa, a Ambev lançou o programa “Papo em Família” em parceria com a equipe do cartunista Maurício de Sousa, criador da “Turma da Mônica”, para ajudar pais e educadores a dialogar sobre o consumo de bebidas alcoólicas com seus filhos e alunos. A iniciativa conta com revistinhas, webséries, tiras e uma cartilha – material que será distribuído em 21 ONGs e que está disponível gratuitamente no site da empresa (www.ambev.com.br/papoemfamilia). O programa foi pautado na estratégia global da Organização Mundial de Saúde (OMS) que, em 2010, lançou um programa para reduzir o consumo nocivo de bebidas alcoólicas. A OMS entende como indevido o consumo em excesso de álcool, a ingestão por menores de 18 anos, pessoas que tomam medicamentos que não devem ser combinados com a bebida, mulheres grávidas, motoristas e dependentes de álcool. “A plataforma de consumo responsável começou em 2010 com o ‘Jovem de Responsa’, em 2011 foi a vez dos supermercados. Em 2012, fizemos ações com os bares onde conseguimos treinar mais de 100 mil pessoas. Agora chegou a vez de trazer o conteúdo para o âmbito familiar”, explica o diretor de relações institucionais, sustentabilidade e comunicação da Ambev, Ricardo Rolim. Até 2014 a empresa quer impactar 5 milhões de pessoas no Brasil. Exemplo . O consumo de álcool é muitas vezes deixado de lado pelos pais porque eles se preocupam mais com as drogas, acredita a médica Bettina Grajcer, especialista em prevenção e saúde coletiva. “As pessoas não veem que a bebida está muito mais próxima do cotidiano dos jovens, existe também uma cultura do ‘tudo bem consumir’. A dificuldade é perceber que a bebida faz parte de nossa cultura, mas existe o momento certo pra isso”, afirma. Segundo a médica, os pais acabam confiando nos filhos e se esquecem de dar o exemplo. “Eles não sabem como abordar, confiam nos filhos achando que eles vão saber tomar as decisões certas, não sabem como e a hora certa de abordar o tema. A dica é começar o quanto antes, use qualquer oportunidade. Além disso, não dá pra perder o vínculo com o filho durante um tempo e querer retomar depois. Os pais têm que estar continuamente próximos, ouvindo o que eles têm pra dizer e estabelecendo limites”, orienta. O consumo consciente também começa pelas ações praticadas pelos pais, ressalta o psiquiatra Arthur Guerra de Andrade, coordenador do Grupo Interdisciplinar de Estudos de Álcool e Drogas da Universidade de São Paulo (USP). “O exemplo não é a melhor forma de você ensinar uma coisa para alguém, é a única. Se nós não conseguirmos dar um exemplo, dificilmente as outras ações vão ter algum sucesso”, afirma. A repórter viajou a convite da Ambev.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave