Força que vem da China Azul

O jovem Lucas Silva e o goleiro Fábio são os preferidos da torcida feminina, mas sobra elogios para todos

iG Minas Gerais | Débora Ferreira |

PEDRO GONTIJO / O TEMPO
Zagueiro Léo foi cercado por um grupo de crianças na Toca
Não basta ser um craque em campo para conquistar os torcedores. Um jogador precisa ter também comprometimento, carisma e, acima de tudo, identificação com o clube. Isso é o que pensam os cruzeirenses que estiveram na Toca ontem, pela tarde, para acompanhar os treinos e até mesmo alguns atletas, na tradicional visita guiada. Os jogadores titulares – que estavam na academia do clube e não tinham acesso ao público – são de longe os preferidos. O goleiro Fábio, por exemplo, é o queridinho da torcida feminina, desde as crianças às mais velhas, mas também é muito elogiado pelo público masculino. O jovem Lucas Silva, que está há menos de um ano no profissional, também já cativou as celestes. “Eu gosto mais do Fábio porque ele é goleiro e acompanho ele jogar”, afirmou a pequena Thalita Falieri, de apenas sete anos. “Ele joga um bolão e está há muito temo com a gente. Torço para que ele seja campeão com o Cruzeiro este ano, por tudo o que já fez no clube”, disse a auxiliar de enfermagem Lúcia Cruz, 58. Mais reservados, os homens tendem a “tietar” os que se destacam dentro das quatro linhas, como Dagoberto, Everton Ribeiro e Ricardo Goulart, neste ano. “Sempre acompanhei a carreira de Dagoberto. Desde quando ele ainda jogava pelo Atlético-PR (de 2001 a 2007). Também gosto muito das revelações da base, como o garoto Elber, o Lucas e o Vinícius”, declarou o estudante Marcos Vinícius Cruz, 26. Mas se engana quem pensa que apenas que titulares são alvos de assédio da torcida. Foi só os zagueiros Léo e Victorino e o meia-atacante Júlio Baptista deixarem o campo para que os torcedores disputassem, no grito, um minuto de atenção para um autógrafo e uma foto. Em meio a tanto tumulto, é difícil falar com os jogadores, mas há quem consiga até entregar cartas para seus ídolos. Segundo o meia Everton Ribeiro, ele não tem nenhuma “artimanha” para conquistar o público. “Não tem segredo, é fazer o meu melhor dentro de campo, com dribles, gols e assistências, e ajudar na marcação, que também é muito importante”, explicou o atleta.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave