Estudos brasileiros avançam

iG Minas Gerais |

São Paulo. Uma vacina desenvolvida no Brasil e que obteve resultados bem-sucedidos em testes com humanos promete ser um tratamento mais eficaz e barato que o lançado nos EUA em 2010 para tratar o câncer de próstata. Enquanto o tratamento norte-americano custa US$ 91 mil (R$ 198 mil) por paciente, o brasileiro pode ser colocado no mercado por US$ 35 mil (R$ 76 mil) no exterior e US$ 15 mil (R$ 32) no Brasil. “Obtivemos taxas espetaculares de redução da doença e de diminuição da mortalidade por câncer de próstata”, disse à Agência Efe o pesquisador Fernando Kreutz, proprietário do FK Biotec, o laboratório com sede em Porto Alegre que patenteou a vacina. A previsão é de lançar o produto em, no máximo, três anos. A vacina estimula o sistema imunológico a identificar e destruir as células cancerígenas. Os responsáveis da inovação consideram que a vacina também poderá ter resultados bem-sucedidos com outros tipos de câncer, como pâncreas, intestino e pele. Leucemia. Pesquisadores da Universidade de São Paulo (USP) de São Carlos desenvolveram um método que usa nanopartículas para fazer um diagnóstico rápido da leucemia. O câncer no sangue é mais trabalhoso de ser identificado por não haver a formação de um tumor sólido. As células cancerosas ficam em circulação. Apesar de rotineiro, o processo é longo e caro – alguns ultrapassam US$ 2.000 (R$ 4.000). Segundo a “Folha de S.Paulo”, o método poderia ser uma alternativa para um diagnóstico rápido para pacientes com suspeita da doença.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave