Vazamento de 5.000 litros de emulsão asfáltica poluem córrego em Oliveira

Vazamento aconteceu de pátio da prefeitura; córrego já recebe esgoto da cidade; limpeza já foi iniciada

iG Minas Gerais | Fernanda Viegas |

Cerca de 5.000 litros de emulsão asfáltica vazaram de um tanque e poluíram o córrego Maracanã, em Oliveira, na região Centro-Oeste de Minas Gerais, na manhã dessa quarta-feira (23). De acordo com o diretor da empresa LPR, Flávio Henrique Inácio, o produto estava armazenado em um tanque em uma garagem da prefeitura. A empresa tem uma usina de asfalto na cidade e solicitou o uso do espaço para guardar a sobra da produção. Contudo, durante a noite aconteceu o vazamento. “Estamos suspeitando que teve sabotagem. Vamos acionar a polícia. Foi no pátio da prefeitura e lá tem vigia”, afirmou. O diretor informou que desde a manhã dessa quarta-feira (23) uma empresa da capital especializada foi acionada para realizar a limpeza do córrego e iniciou os trabalhos. Bóias de contenção já foram colocadas e a expectativa da LPR é de que a limpeza seja concluída até a próxima quarta-feira (30). O prejuízo para empresa foi pequeno, segundo Inácio. O secretário municipal de obras, Robson Lima Souza, que permitiu o uso do pátio da prefeitura pela PLR, disse que não houve grandes prejuízos ambientais, visto que o córrego recebe todo o esgoto da cidade. “É um córrego que não tem vida. A prefeitura está com um projeto de canalização do esgoto para ver se voltamos com a vida do córrego, mas é uma pena que foi óleo para ele”, explicou A captação de água para o abastecimento da cidade é feita na bacia do Rio Grande, segundo o técnico de meio ambiente do Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saae) de Oliveira. O córrego Maracã é utilizado para receber os dejetos. “Fazemos a coleta do esgoto e despejamos no córrego”, confirmou. A Polícia Militar informou que ainda não foi acionada para investigar se o vazamento foi decorrência de um crime.