‘Nem quero saber quem foi’

iG Minas Gerais |

O corpo do advogado Jayme Eulálio de Oliveira, 37, foi enterrado na tarde de ontem no cemitério Bosque da Esperança, na região Norte da capital. Mais de cem pessoas acompanharam a cerimônia. Familiares do advogado se recusaram a falar sobre o assunto e não permitiram a entrada da imprensa no local. A mãe do defensor é jornalista e também advogada. Ela já chegou, inclusive, a trabalhar com o filho em alguns processos. Chorando muito, ela confidenciou a amigos que “não faz ideia do que possa ter ocorrido para motivar o crime”, e que “nem quer saber quem foram os homens capazes de fazer essa crueldade” com o filho dela. Com medo de possíveis retaliações, os advogados que trabalhavam com Oliveira também preferiram não falar sobre o crime. “Ninguém sabe o que pode ter motivado isso. Acreditamos que possa ter sido uma vingança, mas o que motivou a vingança é muito difícil saber neste momento”, afirmou um amigo da família que pediu para não ser identificado. De acordo com ele, muitas informações estão sendo aventadas, mas nenhuma com confirmação. “Algumas podem ser verdadeiras e outras falsas. Então, o melhor é aguardar a polícia e ficar mais reservado nesse momento”, disse. (JC)

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave