Casal diverge ao dar explicações

iG Minas Gerais |

Para o presidente da CPI, o deputado federal Arnaldo Jordy, alguns depoimentos foram contraditórios em relação ao inquérito. “Precisamos ajudar a Justiça a apurar devidamente o fato”, disse. Vamos propor acareações entre os supostos envolvidos no sentido de elucidar as contradições”, disse.  No inquérito policial, há uma mensagem de Janaína Carvalho para Eliane Azzi falando que ela havia conseguido uma alternativa para falsificar a identidade na cidade de São João del Rei, mas que o “seu amigo” cobraria R$ 70 e que ela tinha medo. Ao deputado, Eliane disse desconhecer essa mensagem de texto. Sobre a mensagem que Eliane recebeu do marido, Alexandre Azzi, enquanto estava no hospital com Janaína, dizendo “fique tranquila porque assistente social e psicóloga não são polícia”, Eliane disse que precisava avaliar em qual contexto essa mensagem foi enviada. Já Alexandre disse que encaminhou o SMS para sua esposa com o objetivo de acalmá-la porque, como Janaína era usuária de drogas, eles temiam que ela houvesse entrado no hospital com entorpecente. (DR)

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave