Cabelo cresce em células cultivadas em ratos

Após anos de insucessos, estudo avança para casos de implante capilar

iG Minas Gerais |

NEIL GOULD/STOCKXPERT
Estudo pode recuperar células e reimplantá-las
Nova York, EUA. Após anos de insucessos, cientistas conseguiram fazer o cabelo voltar a crescer cultivando em laboratório células humanas, trazendo novas esperanças para o tratamento da calvície, segundo um estudo publicado nessa segunda.   Durante cerca de 40 anos, os cientistas tentaram sem sucesso clonar folículos pilosos, a “fábrica” dos cabelos, utilizando células da derme papilar (camada mais superficial). Na nova pesquisa, as células humanas, depois de cultivadas, foram reimplantadas na pele de camundongos, permitindo a produção de folículos pilosos. “Esse método permite desenvolver um grande número de folículos ou regenerar os já existentes”, explicou a doutora Angela Christianio, professora de dermatologia da Universidade de Columbia, em Nova York, coautora da pesquisa, publicada na “PNAS”. “Essa técnica poderia tornar o implante capilar acessível às pessoas com um pequeno número de folículos, tanto homens quanto mulheres, ou em indivíduos que sofreram queimaduras”.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave